Tag Archives: bicicleta

Quem diz que não anda de bike porque nunca aprendeu ou tem medo de pedalar não tem mais desculpa para manter a bicicleta guardada na garagem. O projeto Bike Anjo ajuda a perder o medo de andar de bicicleta e até ensina a dar as primeiras pedaladas!
Que a bicicleta é um meio de transporte eficiente, todos nós já sabemos. Mas, muitos têm medo do trânsito ou simplesmente não sabem andar de bicicleta. O primeiro caso é mais delicado, assunto para um próximo post, talvez. Mas, o segundo caso já tem solução!
Pensando nesse medo que muitas pessoas têm, foi criado o projeto Bike Anjo que, de forma colaborativa, reúne diversos voluntários em pontos específicos das cidades de São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e muitos outros lugares. Juntos, eles ensinam a todos que estiverem dispostos a andar de bicicleta!
No site do projeto, é possível se tornar um voluntário e ver onde serão os próximos encontros. Confere lá!

97537680

Para incentivar o uso da bicicleta no lugar do carro, o município de Vila Nova de Gaia, em Portugal, adotou uma iniciativa ambiental inovadora: a lei que concede descontos na conta de água e nos impostos municipais para quem usar a bicicleta ao ir e vir do trabalho.

Cada dia pedalado será contabilizado por meio de um sistema de registros eletrônicos instalados nos bicicletários. Ao final do mês, um “cheque ambiental” é entregue para o ciclista com o valor total contabilizado que poderá ser descontado em impostos, podendo chegar a 100 % da conta de água.

Além disso, em um prazo médio de 18 meses, a economia atingida pelo ciclista será equivalente ao custo investido na bicicleta, cerca de 500 euros (por volta de R$ 1.300,00).

O objetivo é “induzir um novo comportamento ambiental”, segundo o presidente da Câmara Municipal de Gaia Luís Filipe Menezes. O Trânsito+gentil espera que iniciativas como essa estimulem os nossos municípios a investirem em projetos que promovam a utilização das bicicletas como transporte alternativo e propiciem ruas adequadas para o trânsito de ciclistas. Não só o trânsito agradeceria, mas principalmente o meio ambiente.

Fontes:

http://www.gazetadopovo.com.br/blog/irevirdebike/?id=1316860&tit=cidade-portuguesa-vai-trocar-pedalada-por-desconto-na-conta-de-agua

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/gaia-politica-menezes-bibicleta-tvi24-agua/1391373-4071.html

Quem está certo e quem está errado na relação entre motoristas e ciclistas no trânsito? Sem resposta concreta, a pergunta causa polêmica e desperta outra discussão: como chegar a um denominador comum pelo bem da gentileza e da segurança de todos no trânsito?

A princípio, o melhor que você pode fazer é não começar discussões pensando em brigar. A dica de ouvir com calma o que o próximo tem a dizer vale para qualquer situação. Tendo isso em mente, fica bem mais fácil comparar as opiniões!

O jornalista Guto Lobato (@GutoLobato), que dirige frequentemente pela capital paulista, diz que qualquer imprudência ou manobra brusca pode causar um acidente grave. De acordo com ele, nenhum dos “lados” está certo ou errado: o que falta é respeito mútuo.

“Se todos (motoristas e motociclistas) seguirem a legislação de trânsito, respeitando limites de velocidade e a distância entre veículos, evitando ultrapassagens bruscas e, principalmente, agirem com educação e respeito ao espaço alheio, é muito possível chegar a um resultado positivo”.

Para Guto, a prova de que isso pode ser conseguido está na faixa de motociclistas das grandes avenidas de São Paulo – 23 de Maio, Avenida dos Bandeirantes, Nações Unidas, Brasil, entre outras.

Já a ciclista-ativista Aline Cavalcante (@pedaline) acha que o segredo para fazer um Trânsito+gentil é tolerância. “As pessoas precisam tolerar diferenças e escolhas de cada um, aprender a respeitar direitos”, opina.

Ela diz que, independente de opiniões individuais, a arte de tolerar deve ser exercitada em todos os âmbitos da vida, inclusive no trânsito. “É onde convivemos com outras pessoas, realidades, humores e meios de transporte. Hoje, podemos estar dirigindo, mas amanhã podemos depender de transporte público ou de bicicleta. Precisamos lembrar que somos seres humanos, como todos as outras personagens do trânsito”, pontua.

blog

E você, o que acha? Colabore com o debate e não se esqueça: mantenha sempre pelo menos 1,5 m de distância dos outros veículos no trânsito! 🙂

paris-

A França vai seguir o exemplo da Bélgica e incentivar trabalhadores para usarem a bicicleta como meio de transporte. Isso mesmo: quem for pedalando para o trabalho vai receber por isso. A indenização foi apresentada no último dia 16/01, em Paris.

O valor do incentivo, inclusive, será o mesmo que o da Bélgica: € 0,21 por quilômetro pedalado. As empresas que adotarem o modelo receberão isenções do Estado. Os esforços são motivados principalmente pela meta combinada entre os países da União Europeia de que, até 2050, todos devem diminuir a emissão de CO2 para 308 milhões de toneladas por ano.

Em declaração ao jornal Le Figaro, o prefeito do 15º distrito de Paris, Philippe Goujon,  estimou que os 2 milhões de pessoas que usam bicicleta para irem ao trabalho na França (com média de cinco quilômetros de percurso) “terão custo de 20 milhões de euros para o Estado”.

Já em entrevista ao jornal ‘Metro’, o ministro dos Transportes Thierry Mariani indicou que outras medidas para mudar o trânsito estão sendo estudadas e podem entrar em prática. Entre elas, estão: modificar a norma de circulação para permitir que os ciclistas avancem o semáforo vermelho quando virarem à direita, marcar as bicicletas com código para combater roubos e construir mais ciclovias.

Mariani comentou que, na França, a utilização desse meio de transporte permite economizar € 5,6 bilhões de euros pelos benefícios que proporciona à saúde das pessoas, além de limitar os gases poluentes.

Ele ainda diz que, se cada europeu pedalasse 2,6 quilômetros por dia ao invés de usar um carro, o transporte seria responsável por uma queda de 15% das emissões de CO2, principal responsável pelo aquecimento global.

E você, acha que a medida daria certo se fosse implantada no Brasil? Compartilhe sua opinião. 🙂

O Ricardo Aoi (@RickAoi) é um amigo gentil de longa data. Participa ativamente das ações do Trânsito+gentil e sempre usa suas redes para passar mensagens de superação e gentileza. Ele colaborou com o Mês do Trânsito contando como colocou a bicicleta no seu dia a dia e nunca mais tirou, mesmo passando por momentos difíceis. Não deixe de ler! ;D

**

Tudo começou em 2004. Num final de semana, peguei minha bicicleta comprada em um supermercado e fui de São Bernardo do Campo até o Parque do Ibirapuera em São Paulo. Foi de brincadeira, e achei que dava pra tentar mais vezes.

Até então, não tinha nenhum outro contato com a bicicleta, além daquele que acho que a maioria das pessoas tem – que é o sonho de toda criança e que depois fica encostada no quintal ou no bicicletário do condomínio.

Aos poucos, fui me aprimorando e trocando os componentes, uma bicicleta melhor, um capacete, luvas, roupas de ciclista e outras coisas. No começo, demorava mais de uma hora para chegar ao trabalho e, muito cansado, não aguentava mais que uma vez por semana.

Após algum tempo, também comecei a pedalar aos finais de semana, fazendo trilhas pelas cidades nos arredores de São Paulo, como Atibaia, Mairiporã, Nazaré Paulista, Itatiba e outras.

Gostei tanto que passei a ir para o trabalho pedalando praticamente todos os dias. E já conseguia pedalar o trajeto de 12 km em 35 minutos, independente do trânsito. Afinal, de bike a velocidade é sempre constante.

Muita gente me alertava sobre os perigos do trânsito e ainda mais como ciclista. Mas, como adoro pedalar, nunca dei muita atenção. Em junho de 2005, indo para o trabalho, sofri uma queda porque havia óleo diesel na pista, em uma descida com curva. Tive uma fratura facial, que só não foi traumatismo craniano pelo fato de usar capacete. Foram 24 dias de molho, mais 30 dias até voltar a pedalar e uma placa e parafusos de titânio no rosto.

Em meu trajeto, já ajudei motoristas com problemas mecânicos, tirando o carro do meio da pista e sinalizando.

Um problema que tenho pelo caminho é quando a Via Anchieta está congestionada entre os quilômetros 13 e 10, onde muitos motoristas trafegam pelo acostamento em alta velocidade, o que torna esse trecho muito perigoso. Mas, também há motoristas gentis. Motoristas de ônibus, caminhões e carros já me cederam passagem e buzinam avisando sobre a gentileza, que retribuo com sinais. ;D

Quando não tenho compromisso, ou é dia do rodízio do meu carro, sempre vou de bike. É a certeza de chegar no horário. Assim como o carro, a bicicleta pode ter problemas mecânicos, mas, pela prática, consigo fazer troca de pneu, corrente e alguns ajustes.
Quando estou de carro, faço questão de “escoltar” ciclistas que vejo pelo caminho em locais que julgo ser mais perigosos. Isso é gentileza!

**

O Ricardo é ou não é um grande ciclista gentil? Conte sua história pra gente também!

Durante o mês de setembro, vai ser muito comum ouvir ou ler por aí (e aqui no Trânsito+gentil também) sobre incluir a bicicleta como meio de transporte no dia a dia. Fácil entender o porquê disso: setembro é o mês do trânsito, comemora-se o dia da Amazônia e de causas ambientais (como o Dia Mundial sem Carro), além da chegada da Primavera.

Melhor do que mudar uma atitude é ser gentil sempre, onde quer que esteja, e ter a ciência de que nem todos têm a gentileza como princípio. E isso pode ser um risco para quem pedala por aí.

Se você usa bicicleta, ou quer incluir esta prática no seu dia a dia, leia as nossas dicas e deixe as suas também:

Apareça | Fique bem visível para os motoristas. Luzes e reflexivos na bicicleta, no capacete e na roupa são itens de extrema importância. Evite usar roupas escuras à noite.

Rota alternativa | Descubra, analise e trace caminhos que fogem de grandes avenidas e ruas muito movimentadas. De carro, é difícil perceber. Mas, os bairros oferecem uma porção de ruazinhas mais calmas, que são rotas perfeitas para os ciclistas – você vai com segurança e chega ao mesmo destino. Nada que uma boa pesquisa com mapas não ajude a resolver.

Faça sinais! | O seu corpo é que vai mostrar suas intenções. Não tenha medo de balançar o braço para sinalizar se você pretende virar uma rua ou não. É sua obrigação mostrar para o motorista o que você quer fazer. E pense como todos os motoristas deveriam pensar: de forma defensiva.

Sentido correto | Ande sempre na mesma mão dos carros, nunca na contrária. Motoristas conseguem ver com mais atenção o que está no mesmo sentido.

Dialogue | Esteja preparado para ouvir reclamações e exclamações mal educadas de motoristas. Infelizmente, nem todos respeitam a bicicleta como veículo que tem o direito de transitar na cidade. Aja com prudência, claro, e, quando possível, estabeleça diálogos com quem está compartilhando a pista.

Estas e outras dicas estão no site da revista SuperInteressante. ;D

Quem usa o carro para se deslocar para longas distâncias pode até ter vontade de ser menos dependente do automóvel, mas sabe que é muito difícil colocar essa vontade em prática.

Nem todas as cidades possuem um trânsito fluído e seguro, transporte coletivo que funcione de forma pontual e confortável. Além disso, não podemos ignorar os riscos de nos deslocar de motocicleta ou bike. Por isso, o Trânsito+gentil listou algumas possibilidades que, se você achar viável encaixar em seu dia a dia, podem amenizar o estresse e diminuir o tempo que você passa no trânsito:

Automóvel: (1) se você trabalha na rua e precisa do carro ou moto para se deslocar, tente agregar alguns colegas para oferecer carona. A atitude diminui o trânsito e os seus gastos com gasolina e estacionamento, já que todos podem contribuir. (2) Quando estiver em pleno congestionamento, que tal ouvir uma música legal, alongar o pulso e braços?

Moto: o motociclista precisa dirigir por ele e para os outros, já que muitos veículos possuem os “pontos cegos” que tornam a moto invisível quando olha rapidamente pelos espelhos retrovisores. Esteja sempre atento aos carros e pedestres ao redor.

Transporte público: para quem tem um trabalho mais flexível, uma opção é usar ônibus, metrô ou trem em horários diferenciados (um pouco antes ou depois do grande fluxo de pessoas). Levar uma boa revista ou livro de companhia pode contribuir para que o caminho seja mais gentil e prazeroso.

Bike: carregue, junto da gentileza, os equipamentos de segurança obrigatórios e preste muita atenção a motoristas e pedestres. Sinalize sempre as suas próximas ações. Se não tem uma bicicleta, você pode pegar uma emprestada/alugada nos pontos oferecidos por algumas prefeituras. É o caso da Prefeitura de São Paulo, que instalou postos próximos às estações de metrô.

Mix de meios de transporte: você sabia que algumas prefeituras e governos estaduais se uniram para que você diminua o tempo gasto no trânsito? Isso mesmo. Em São Paulo, por exemplo, é possível fazer parte do caminho de carro, estacionar em um local conveniado ao metrô/trem e pegar uma bike emprestada. Para quem vai utilizar o metrô, há um grande desconto no estacionamento.

A pé: você pode fazer todo o seu percurso a pé ou parte dele em outro transporte. Mas, é importante sempre respeitar a faixa de pedestres e os semáforos (de pedestre e veículos). Fique atento também aos ciclistas, já que alguns podem furar os semáforos das ruas.

E você, tem uma dica bacana para fazer caminhos mais rápidos, seguros e divertidos?

Carro, ônibus, trem, bicicleta, calçada, rua asfaltada, faixa de pedestre… Esses são apenas alguns dos meios de transportes, vias e sinalizações criados para facilitar a nossa vida e trazer mais segurança quando a gente precisa se deslocar nas cidades. Usando com cautela e gentileza, é tudo uma maravilha.

E o que acontece quando todos saem às ruas com seus carros e deixam de utilizar o transporte público ou alternativo (a bicicleta, por exemplo), ou ainda, deixam de respeitar a faixa de pedestre? Pois é. De nada adiantam todos esses recursos para tornar o nosso deslocamento mais cômodo e seguro, quando a falta de gentileza e o bom senso são responsáveis por boa parte do estresse e da violência no trânsito. 

Por isso, o Trânsito+gentil decidiu estender a Semana Nacional do Trânsito, que é comemorada entre os dias 18 e 25 de setembro, para o mês todo. A nossa intenção nesta data é alertar sobre o uso consciente do carro e encontrar alternativas junto com vocês para que as distâncias de casa, trabalho e colégio/faculdade sejam mais divertidas e seguras.

Ao logo das próximas semanas, muita coisa vai acontecer nas redes do Trânsito+gentil (e nas ruas também!). Fiquem atentos e participem =)

Canais do Trânsito+gentil:
YouTube: http://gentil.vc/tmgyt
Twitter: http://twitter.com/transitogentil
Facebook: http://www.facebook.com/transitomaisgentil
Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=93837645

Cada dia está mais difícil enfrentar as ruas, não é mesmo? De caminhão, carro, moto, bicicleta e, até mesmo, a pé. E precisa ser muito gentil para não permitir que o trânsito acabe com a gentileza de quem circula pelas ruas.

Quando você deixa o seu carro ou moto em casa e opta por meios mais rápidos, como ir de transporte coletivo ou de bike, você contribui com o meio ambiente, diminui os gastos com estacionamento e combustível, fica menos tempo parado no trânsito e, para melhorar ainda mais, contribui com a sua saúde.

Isso mesmo, percorrer parte do seu trajeto diário de bicicleta ou caminhando, pode contribuir consideravelmente, para a sua saúde, já que se você estará praticando uma atividade física. A lista de doenças que o exercício aeróbico ajuda a evitar é imensa: acidente vascular cerebral, depressão, ansiedade, osteoporose, artrose, obesidade, diabetes, câncer de intestino e muitas outras.

Veja outros benefícios e boa caminhada!
Diminui o estresse e a depressão: exercitar-se por 30 minutos, três vezes por semana, ajuda no tratamento de distúrbios psicológicos e pode ser tão eficiente no tratamento de depressão aguda quanto à utilização de medicamentos.
Auxilia no controle do colesterol: o exercício aeróbico é uma atividade que emagrece, proporciona condicionamento cardiovascular e fortalece membros inferiores, além de reduzir as taxas de colesterol ruim e aumentar o colesterol bom.
Bom para o coração: a atividade provoca a oxigenação cerebral e, se realizada rotineiramente, é capaz de liberar endorfinas, os hormônios que tranquilizam, e dão a sensação de bem-estar.
Ossos mais fortes: assim como os músculos, os ossos se tornam mais fortes com as atividades físicas.
Mais amigos: pessoas saudáveis se mantêm mais integradas na sociedade, são mais felizes e gentis.

Não se esqueça de usar um calçado adequado para atividade e consultar um médico. ;D

Há algumas semanas falamos sobre os melhores locais para passear com a sua bike no fim de semana e sobre o comportamento ideal para evitar acidentes. O legal do incentivo ao uso da bicicleta é que, além de saudável, a prática no dia a dia impacta diretamente no trânsito e na qualidade do ar.

No entanto, assim como a moto, andar de bike oferece riscos maiores do que de carro – já que o próprio veículo acaba protegendo você em caso de colisões Por isso, é importante andar atento e continuar seguindo as normas de segurança que falamos neste outro post .

Por conta da vulnerabilidade do ciclista, os motoristas precisam redobrar a sua gentileza no trânsito, permitindo que eles trafeguem livremente e sem perigo. Ande com uma distância segura de 1,5 m, evite “dar” farol ou buzinar para não assustá-los e, jamais, use a faixa exclusiva para bicicletas.

Os “gentis” do trânsito fazem isso como costume, mas não custa nada reforçar o que está na nossa legislação, no Código de Trânsito Brasileiro – CTB:

– Art. 201: Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinquenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicleta: Infração média + multa.

– Art. 184: Transitar com o veículo: II – na faixa ou pista da esquerda regulamentada como de circulação exclusiva para determinado tipo de veículo: Infração grave + multa.

Prontos para sair e distribuir gentilezas por aí?

Há algumas semanas falamos sobre os melhores locais para passear com a sua bike no fim de semana e sobre o comportamento ideal para evitar acidentes. O legal do incentivo ao uso da bicicleta é que, além de saudável, a prática no dia a dia impacta diretamente no trânsito e na qualidade do ar.

No entanto, assim como a moto, andar de bike oferece riscos maiores do que de carro – já que o próprio veículo acaba protegendo você em caso de colisões Por isso, é importante andar atento e continuar seguindo as normas de segurança que falamos neste outro post[MMA1] .

Por conta da vulnerabilidade do ciclista, os motoristas precisam redobrar a sua gentileza no trânsito, permitindo que eles trafeguem livremente e sem perigo. Ande com uma distância segura de 1,5 m, evite “dar” farol ou buzinar para não assustá-los e, jamais, use a faixa exclusiva para bicicletas.

Os “gentis” do trânsito fazem isso como costume, mas não custa nada reforçar o que está na nossa legislação, no Código de Trânsito Brasileiro (CTB):

Art. 201: Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinquenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicleta: Infração média + multa.

Art. 184: Transitar com o veículo: II – na faixa ou pista da esquerda regulamentada como de circulação exclusiva para determinado tipo de veículo: Infração grave + multa.

Prontos para sair e distribuir gentilezas por aí?


[MMA1]*Vamos linkar o ‘neste post’ com esta URL http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/2011/dicas/rota-ideal-para-ciclistas/)

WP_Query Object
(
    [query] => Array
        (
            [tag] => bicicleta
        )

    [query_vars] => Array
        (
            [tag] => bicicleta
            [error] => 
            [m] => 
            [p] => 0
            [post_parent] => 
            [subpost] => 
            [subpost_id] => 
            [attachment] => 
            [attachment_id] => 0
            [name] => 
            [static] => 
            [pagename] => 
            [page_id] => 0
            [second] => 
            [minute] => 
            [hour] => 
            [day] => 0
            [monthnum] => 0
            [year] => 0
            [w] => 0
            [category_name] => 
            [cat] => 
            [tag_id] => 62
            [author] => 
            [author_name] => 
            [feed] => 
            [tb] => 
            [paged] => 0
            [meta_key] => 
            [meta_value] => 
            [preview] => 
            [s] => 
            [sentence] => 
            [title] => 
            [fields] => 
            [menu_order] => 
            [embed] => 
            [category__in] => Array
                (
                )

            [category__not_in] => Array
                (
                )

            [category__and] => Array
                (
                )

            [post__in] => Array
                (
                )

            [post__not_in] => Array
                (
                )

            [post_name__in] => Array
                (
                )

            [tag__in] => Array
                (
                )

            [tag__not_in] => Array
                (
                )

            [tag__and] => Array
                (
                )

            [tag_slug__in] => Array
                (
                    [0] => bicicleta
                )

            [tag_slug__and] => Array
                (
                )

            [post_parent__in] => Array
                (
                )

            [post_parent__not_in] => Array
                (
                )

            [author__in] => Array
                (
                )

            [author__not_in] => Array
                (
                )

            [ignore_sticky_posts] => 
            [suppress_filters] => 
            [cache_results] => 1
            [update_post_term_cache] => 1
            [lazy_load_term_meta] => 1
            [update_post_meta_cache] => 1
            [post_type] => 
            [posts_per_page] => 10
            [nopaging] => 
            [comments_per_page] => 50
            [no_found_rows] => 
            [order] => DESC
        )

    [tax_query] => WP_Tax_Query Object
        (
            [queries] => Array
                (
                    [0] => Array
                        (
                            [taxonomy] => post_tag
                            [terms] => Array
                                (
                                    [0] => bicicleta
                                )

                            [field] => slug
                            [operator] => IN
                            [include_children] => 1
                        )

                )

            [relation] => AND
            [table_aliases:protected] => Array
                (
                    [0] => t_g_term_relationships
                )

            [queried_terms] => Array
                (
                    [post_tag] => Array
                        (
                            [terms] => Array
                                (
                                    [0] => bicicleta
                                )

                            [field] => slug
                        )

                )

            [primary_table] => t_g_posts
            [primary_id_column] => ID
        )

    [meta_query] => WP_Meta_Query Object
        (
            [queries] => Array
                (
                )

            [relation] => 
            [meta_table] => 
            [meta_id_column] => 
            [primary_table] => 
            [primary_id_column] => 
            [table_aliases:protected] => Array
                (
                )

            [clauses:protected] => Array
                (
                )

            [has_or_relation:protected] => 
        )

    [date_query] => 
    [queried_object] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 62
            [name] => bicicleta
            [slug] => bicicleta
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 62
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 17
            [filter] => raw
        )

    [queried_object_id] => 62
    [request] => SELECT SQL_CALC_FOUND_ROWS  t_g_posts.ID FROM t_g_posts  LEFT JOIN t_g_term_relationships ON (t_g_posts.ID = t_g_term_relationships.object_id) WHERE 1=1  AND ( 
  t_g_term_relationships.term_taxonomy_id IN (62)
) AND t_g_posts.post_type = 'post' AND (t_g_posts.post_status = 'publish') GROUP BY t_g_posts.ID ORDER BY t_g_posts.post_date DESC LIMIT 0, 10
    [posts] => Array
        (
            [0] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 3173
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2013-08-13 15:27:17
                    [post_date_gmt] => 2013-08-13 17:27:17
                    [post_content] => Quem diz que não anda de bike porque nunca aprendeu ou tem medo de pedalar não tem mais desculpa para manter a bicicleta guardada na garagem. O projeto Bike Anjo ajuda a perder o medo de andar de bicicleta e até ensina a dar as primeiras pedaladas!
Que a bicicleta é um meio de transporte eficiente, todos nós já sabemos. Mas, muitos têm medo do trânsito ou simplesmente não sabem andar de bicicleta. O primeiro caso é mais delicado, assunto para um próximo post, talvez. Mas, o segundo caso já tem solução!
Pensando nesse medo que muitas pessoas têm, foi criado o projeto Bike Anjo que, de forma colaborativa, reúne diversos voluntários em pontos específicos das cidades de São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e muitos outros lugares. Juntos, eles ensinam a todos que estiverem dispostos a andar de bicicleta!
No site do projeto, é possível se tornar um voluntário e ver onde serão os próximos encontros. Confere lá!
                    [post_title] => Conheça o projeto Bike Anjo!
                    [post_excerpt] => Quem diz que não anda de bike porque nunca aprendeu ou tem medo de pedalar não tem mais desculpa para manter a bicicleta guardada na garagem. O projeto Bike Anjo ajuda a perder o medo de andar de bicicleta e até ensina a dar as primeiras pedaladas!
Que a bicicleta é um meio de transporte eficiente, todos nós já sabemos. Mas, muitos têm medo do trânsito ou simplesmente não sabem andar de bicicleta. O primeiro caso é mais delicado, assunto para um próximo post, talvez. Mas, o segundo caso já tem solução!
Pensando nesse medo que muitas pessoas têm, foi criado o projeto Bike Anjo que, de forma colaborativa, reúne diversos voluntários em pontos específicos das cidades de São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e muitos outros lugares. Juntos, eles ensinam a todos que estiverem dispostos a andar de bicicleta!
No site do projeto, é possível se tornar um voluntário e ver onde serão os próximos encontros. Confere lá!
                    [post_status] => publish
                    [comment_status] => open
                    [ping_status] => open
                    [post_password] => 
                    [post_name] => conheca-o-projeto-bike-anjo
                    [to_ping] => 
                    [pinged] => 
                    [post_modified] => 2013-08-13 15:27:17
                    [post_modified_gmt] => 2013-08-13 17:27:17
                    [post_content_filtered] => 
                    [post_parent] => 0
                    [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=3173
                    [menu_order] => 0
                    [post_type] => post
                    [post_mime_type] => 
                    [comment_count] => 0
                    [filter] => raw
                )

            [1] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 3080
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2012-12-27 01:16:25
                    [post_date_gmt] => 2012-12-27 03:16:25
                    [post_content] => 97537680

Para incentivar o uso da bicicleta no lugar do carro, o município de Vila Nova de Gaia, em Portugal, adotou uma iniciativa ambiental inovadora: a lei que concede descontos na conta de água e nos impostos municipais para quem usar a bicicleta ao ir e vir do trabalho. 

Cada dia pedalado será contabilizado por meio de um sistema de registros eletrônicos instalados nos bicicletários. Ao final do mês, um “cheque ambiental” é entregue para o ciclista com o valor total contabilizado que poderá ser descontado em impostos, podendo chegar a 100 % da conta de água.

Além disso, em um prazo médio de 18 meses, a economia atingida pelo ciclista será equivalente ao custo investido na bicicleta, cerca de 500 euros (por volta de R$ 1.300,00).

O objetivo é “induzir um novo comportamento ambiental”, segundo o presidente da Câmara Municipal de Gaia Luís Filipe Menezes. O Trânsito+gentil espera que iniciativas como essa estimulem os nossos municípios a investirem em projetos que promovam a utilização das bicicletas como transporte alternativo e propiciem ruas adequadas para o trânsito de ciclistas. Não só o trânsito agradeceria, mas principalmente o meio ambiente.



Fontes:

http://www.gazetadopovo.com.br/blog/irevirdebike/?id=1316860&tit=cidade-portuguesa-vai-trocar-pedalada-por-desconto-na-conta-de-agua 

http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/gaia-politica-menezes-bibicleta-tvi24-agua/1391373-4071.html

                    [post_title] => Desconto em impostos estimula o uso de bicicletas em Portugal
                    [post_excerpt] => 
                    [post_status] => publish
                    [comment_status] => open
                    [ping_status] => open
                    [post_password] => 
                    [post_name] => desconto-em-impostos-estimula-o-uso-de-bicicletas-portugal
                    [to_ping] => 
                    [pinged] => 
                    [post_modified] => 2012-12-27 01:16:25
                    [post_modified_gmt] => 2012-12-27 03:16:25
                    [post_content_filtered] => 
                    [post_parent] => 0
                    [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=3080
                    [menu_order] => 0
                    [post_type] => post
                    [post_mime_type] => 
                    [comment_count] => 0
                    [filter] => raw
                )

            [2] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 2980
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2012-04-16 16:49:04
                    [post_date_gmt] => 2012-04-16 18:49:04
                    [post_content] => Quem está certo e quem está errado na relação entre motoristas e ciclistas no trânsito? Sem resposta concreta, a pergunta causa polêmica e desperta outra discussão: como chegar a um denominador comum pelo bem da gentileza e da segurança de todos no trânsito?

A princípio, o melhor que você pode fazer é não começar discussões pensando em brigar. A dica de ouvir com calma o que o próximo tem a dizer vale para qualquer situação. Tendo isso em mente, fica bem mais fácil comparar as opiniões!

O jornalista Guto Lobato (@GutoLobato), que dirige frequentemente pela capital paulista, diz que qualquer imprudência ou manobra brusca pode causar um acidente grave. De acordo com ele, nenhum dos “lados” está certo ou errado: o que falta é respeito mútuo.

“Se todos (motoristas e motociclistas) seguirem a legislação de trânsito, respeitando limites de velocidade e a distância entre veículos, evitando ultrapassagens bruscas e, principalmente, agirem com educação e respeito ao espaço alheio, é muito possível chegar a um resultado positivo”.

Para Guto, a prova de que isso pode ser conseguido está na faixa de motociclistas das grandes avenidas de São Paulo – 23 de Maio, Avenida dos Bandeirantes, Nações Unidas, Brasil, entre outras.

Já a ciclista-ativista Aline Cavalcante (@pedaline) acha que o segredo para fazer um Trânsito+gentil é tolerância. “As pessoas precisam tolerar diferenças e escolhas de cada um, aprender a respeitar direitos”, opina.

Ela diz que, independente de opiniões individuais, a arte de tolerar deve ser exercitada em todos os âmbitos da vida, inclusive no trânsito. “É onde convivemos com outras pessoas, realidades, humores e meios de transporte. Hoje, podemos estar dirigindo, mas amanhã podemos depender de transporte público ou de bicicleta. Precisamos lembrar que somos seres humanos, como todos as outras personagens do trânsito”, pontua.

blog

E você, o que acha? Colabore com o debate e não se esqueça: mantenha sempre pelo menos 1,5 m de distância dos outros veículos no trânsito! :) [post_title] => Motoristas e ciclistas: afinal, como incentivar as gentilezas? [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => motoristas-e-ciclistas-afinal-como-incentivar-as-gentilezas [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-04-16 16:49:04 [post_modified_gmt] => 2012-04-16 18:49:04 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2980 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 7 [filter] => raw ) [3] => WP_Post Object ( [ID] => 2883 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-02-10 10:30:07 [post_date_gmt] => 2012-02-10 12:30:07 [post_content] =>

paris-

A França vai seguir o exemplo da Bélgica e incentivar trabalhadores para usarem a bicicleta como meio de transporte. Isso mesmo: quem for pedalando para o trabalho vai receber por isso. A indenização foi apresentada no último dia 16/01, em Paris.

O valor do incentivo, inclusive, será o mesmo que o da Bélgica: € 0,21 por quilômetro pedalado. As empresas que adotarem o modelo receberão isenções do Estado. Os esforços são motivados principalmente pela meta combinada entre os países da União Europeia de que, até 2050, todos devem diminuir a emissão de CO2 para 308 milhões de toneladas por ano.

Em declaração ao jornal Le Figaro, o prefeito do 15º distrito de Paris, Philippe Goujon,  estimou que os 2 milhões de pessoas que usam bicicleta para irem ao trabalho na França (com média de cinco quilômetros de percurso) “terão custo de 20 milhões de euros para o Estado”.

Já em entrevista ao jornal 'Metro', o ministro dos Transportes Thierry Mariani indicou que outras medidas para mudar o trânsito estão sendo estudadas e podem entrar em prática. Entre elas, estão: modificar a norma de circulação para permitir que os ciclistas avancem o semáforo vermelho quando virarem à direita, marcar as bicicletas com código para combater roubos e construir mais ciclovias.

Mariani comentou que, na França, a utilização desse meio de transporte permite economizar € 5,6 bilhões de euros pelos benefícios que proporciona à saúde das pessoas, além de limitar os gases poluentes.

Ele ainda diz que, se cada europeu pedalasse 2,6 quilômetros por dia ao invés de usar um carro, o transporte seria responsável por uma queda de 15% das emissões de CO2, principal responsável pelo aquecimento global.

E você, acha que a medida daria certo se fosse implantada no Brasil? Compartilhe sua opinião. :)

[post_title] => França e Bélgica pagam população para bicicletas serem mais utilizadas que carros [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => franca-e-belgica-pagam-populacao-para-bicicletas-serem-mais-utilizadas-que-carros [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-02-10 10:30:07 [post_modified_gmt] => 2012-02-10 12:30:07 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2883 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 1 [filter] => raw ) [4] => WP_Post Object ( [ID] => 2415 [post_author] => 2 [post_date] => 2011-09-23 13:24:58 [post_date_gmt] => 2011-09-23 15:24:58 [post_content] => O Ricardo Aoi (@RickAoi) é um amigo gentil de longa data. Participa ativamente das ações do Trânsito+gentil e sempre usa suas redes para passar mensagens de superação e gentileza. Ele colaborou com o Mês do Trânsito contando como colocou a bicicleta no seu dia a dia e nunca mais tirou, mesmo passando por momentos difíceis. Não deixe de ler! ;D ** Tudo começou em 2004. Num final de semana, peguei minha bicicleta comprada em um supermercado e fui de São Bernardo do Campo até o Parque do Ibirapuera em São Paulo. Foi de brincadeira, e achei que dava pra tentar mais vezes. Até então, não tinha nenhum outro contato com a bicicleta, além daquele que acho que a maioria das pessoas tem – que é o sonho de toda criança e que depois fica encostada no quintal ou no bicicletário do condomínio. Aos poucos, fui me aprimorando e trocando os componentes, uma bicicleta melhor, um capacete, luvas, roupas de ciclista e outras coisas. No começo, demorava mais de uma hora para chegar ao trabalho e, muito cansado, não aguentava mais que uma vez por semana. Após algum tempo, também comecei a pedalar aos finais de semana, fazendo trilhas pelas cidades nos arredores de São Paulo, como Atibaia, Mairiporã, Nazaré Paulista, Itatiba e outras. Gostei tanto que passei a ir para o trabalho pedalando praticamente todos os dias. E já conseguia pedalar o trajeto de 12 km em 35 minutos, independente do trânsito. Afinal, de bike a velocidade é sempre constante. Muita gente me alertava sobre os perigos do trânsito e ainda mais como ciclista. Mas, como adoro pedalar, nunca dei muita atenção. Em junho de 2005, indo para o trabalho, sofri uma queda porque havia óleo diesel na pista, em uma descida com curva. Tive uma fratura facial, que só não foi traumatismo craniano pelo fato de usar capacete. Foram 24 dias de molho, mais 30 dias até voltar a pedalar e uma placa e parafusos de titânio no rosto. Em meu trajeto, já ajudei motoristas com problemas mecânicos, tirando o carro do meio da pista e sinalizando. Um problema que tenho pelo caminho é quando a Via Anchieta está congestionada entre os quilômetros 13 e 10, onde muitos motoristas trafegam pelo acostamento em alta velocidade, o que torna esse trecho muito perigoso. Mas, também há motoristas gentis. Motoristas de ônibus, caminhões e carros já me cederam passagem e buzinam avisando sobre a gentileza, que retribuo com sinais. ;D Quando não tenho compromisso, ou é dia do rodízio do meu carro, sempre vou de bike. É a certeza de chegar no horário. Assim como o carro, a bicicleta pode ter problemas mecânicos, mas, pela prática, consigo fazer troca de pneu, corrente e alguns ajustes. Quando estou de carro, faço questão de “escoltar” ciclistas que vejo pelo caminho em locais que julgo ser mais perigosos. Isso é gentileza! ** O Ricardo é ou não é um grande ciclista gentil? Conte sua história pra gente também! [post_title] => Bike: todos podem fazer esta troca [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => bike-todos-podem-fazer-esta-troca [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2011-09-23 13:24:58 [post_modified_gmt] => 2011-09-23 15:24:58 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2415 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 3 [filter] => raw ) [5] => WP_Post Object ( [ID] => 2375 [post_author] => 2 [post_date] => 2011-09-16 13:24:46 [post_date_gmt] => 2011-09-16 15:24:46 [post_content] => Durante o mês de setembro, vai ser muito comum ouvir ou ler por aí (e aqui no Trânsito+gentil também) sobre incluir a bicicleta como meio de transporte no dia a dia. Fácil entender o porquê disso: setembro é o mês do trânsito, comemora-se o dia da Amazônia e de causas ambientais (como o Dia Mundial sem Carro), além da chegada da Primavera. Melhor do que mudar uma atitude é ser gentil sempre, onde quer que esteja, e ter a ciência de que nem todos têm a gentileza como princípio. E isso pode ser um risco para quem pedala por aí. Se você usa bicicleta, ou quer incluir esta prática no seu dia a dia, leia as nossas dicas e deixe as suas também: Apareça | Fique bem visível para os motoristas. Luzes e reflexivos na bicicleta, no capacete e na roupa são itens de extrema importância. Evite usar roupas escuras à noite. Rota alternativa | Descubra, analise e trace caminhos que fogem de grandes avenidas e ruas muito movimentadas. De carro, é difícil perceber. Mas, os bairros oferecem uma porção de ruazinhas mais calmas, que são rotas perfeitas para os ciclistas – você vai com segurança e chega ao mesmo destino. Nada que uma boa pesquisa com mapas não ajude a resolver. Faça sinais! | O seu corpo é que vai mostrar suas intenções. Não tenha medo de balançar o braço para sinalizar se você pretende virar uma rua ou não. É sua obrigação mostrar para o motorista o que você quer fazer. E pense como todos os motoristas deveriam pensar: de forma defensiva. Sentido correto | Ande sempre na mesma mão dos carros, nunca na contrária. Motoristas conseguem ver com mais atenção o que está no mesmo sentido. Dialogue | Esteja preparado para ouvir reclamações e exclamações mal educadas de motoristas. Infelizmente, nem todos respeitam a bicicleta como veículo que tem o direito de transitar na cidade. Aja com prudência, claro, e, quando possível, estabeleça diálogos com quem está compartilhando a pista. Estas e outras dicas estão no site da revista SuperInteressante. ;D [post_title] => Pedalando pra longe da falta de gentileza [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => pedalando-pra-longe-da-falta-de-gentileza [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2011-09-16 13:24:46 [post_modified_gmt] => 2011-09-16 15:24:46 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2375 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 1 [filter] => raw ) [6] => WP_Post Object ( [ID] => 2343 [post_author] => 2 [post_date] => 2011-09-14 12:26:53 [post_date_gmt] => 2011-09-14 14:26:53 [post_content] => Quem usa o carro para se deslocar para longas distâncias pode até ter vontade de ser menos dependente do automóvel, mas sabe que é muito difícil colocar essa vontade em prática. Nem todas as cidades possuem um trânsito fluído e seguro, transporte coletivo que funcione de forma pontual e confortável. Além disso, não podemos ignorar os riscos de nos deslocar de motocicleta ou bike. Por isso, o Trânsito+gentil listou algumas possibilidades que, se você achar viável encaixar em seu dia a dia, podem amenizar o estresse e diminuir o tempo que você passa no trânsito: Automóvel: (1) se você trabalha na rua e precisa do carro ou moto para se deslocar, tente agregar alguns colegas para oferecer carona. A atitude diminui o trânsito e os seus gastos com gasolina e estacionamento, já que todos podem contribuir. (2) Quando estiver em pleno congestionamento, que tal ouvir uma música legal, alongar o pulso e braços? Moto: o motociclista precisa dirigir por ele e para os outros, já que muitos veículos possuem os “pontos cegos” que tornam a moto invisível quando olha rapidamente pelos espelhos retrovisores. Esteja sempre atento aos carros e pedestres ao redor. Transporte público: para quem tem um trabalho mais flexível, uma opção é usar ônibus, metrô ou trem em horários diferenciados (um pouco antes ou depois do grande fluxo de pessoas). Levar uma boa revista ou livro de companhia pode contribuir para que o caminho seja mais gentil e prazeroso. Bike: carregue, junto da gentileza, os equipamentos de segurança obrigatórios e preste muita atenção a motoristas e pedestres. Sinalize sempre as suas próximas ações. Se não tem uma bicicleta, você pode pegar uma emprestada/alugada nos pontos oferecidos por algumas prefeituras. É o caso da Prefeitura de São Paulo, que instalou postos próximos às estações de metrô. Mix de meios de transporte: você sabia que algumas prefeituras e governos estaduais se uniram para que você diminua o tempo gasto no trânsito? Isso mesmo. Em São Paulo, por exemplo, é possível fazer parte do caminho de carro, estacionar em um local conveniado ao metrô/trem e pegar uma bike emprestada. Para quem vai utilizar o metrô, há um grande desconto no estacionamento. A pé: você pode fazer todo o seu percurso a pé ou parte dele em outro transporte. Mas, é importante sempre respeitar a faixa de pedestres e os semáforos (de pedestre e veículos). Fique atento também aos ciclistas, já que alguns podem furar os semáforos das ruas. E você, tem uma dica bacana para fazer caminhos mais rápidos, seguros e divertidos? [post_title] => Meu amigo inseparável, o carro [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => meu-amigo-inseparavel-o-carro [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2011-09-14 12:26:53 [post_modified_gmt] => 2011-09-14 14:26:53 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2343 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 3 [filter] => raw ) [7] => WP_Post Object ( [ID] => 2297 [post_author] => 2 [post_date] => 2011-09-01 09:21:26 [post_date_gmt] => 2011-09-01 11:21:26 [post_content] => Carro, ônibus, trem, bicicleta, calçada, rua asfaltada, faixa de pedestre... Esses são apenas alguns dos meios de transportes, vias e sinalizações criados para facilitar a nossa vida e trazer mais segurança quando a gente precisa se deslocar nas cidades. Usando com cautela e gentileza, é tudo uma maravilha. E o que acontece quando todos saem às ruas com seus carros e deixam de utilizar o transporte público ou alternativo (a bicicleta, por exemplo), ou ainda, deixam de respeitar a faixa de pedestre? Pois é. De nada adiantam todos esses recursos para tornar o nosso deslocamento mais cômodo e seguro, quando a falta de gentileza e o bom senso são responsáveis por boa parte do estresse e da violência no trânsito.  Por isso, o Trânsito+gentil decidiu estender a Semana Nacional do Trânsito, que é comemorada entre os dias 18 e 25 de setembro, para o mês todo. A nossa intenção nesta data é alertar sobre o uso consciente do carro e encontrar alternativas junto com vocês para que as distâncias de casa, trabalho e colégio/faculdade sejam mais divertidas e seguras. Ao logo das próximas semanas, muita coisa vai acontecer nas redes do Trânsito+gentil (e nas ruas também!). Fiquem atentos e participem =) Canais do Trânsito+gentil: YouTube: http://gentil.vc/tmgyt Twitter: http://twitter.com/transitogentil Facebook: http://www.facebook.com/transitomaisgentil� Orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=93837645 [post_title] => Setembro é mês do trânsito [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => setembro-e-mes-do-transito [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2011-09-01 09:21:26 [post_modified_gmt] => 2011-09-01 11:21:26 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2297 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 2 [filter] => raw ) [8] => WP_Post Object ( [ID] => 2257 [post_author] => 2 [post_date] => 2011-08-24 13:29:14 [post_date_gmt] => 2011-08-24 15:29:14 [post_content] => Cada dia está mais difícil enfrentar as ruas, não é mesmo? De caminhão, carro, moto, bicicleta e, até mesmo, a pé. E precisa ser muito gentil para não permitir que o trânsito acabe com a gentileza de quem circula pelas ruas. Quando você deixa o seu carro ou moto em casa e opta por meios mais rápidos, como ir de transporte coletivo ou de bike, você contribui com o meio ambiente, diminui os gastos com estacionamento e combustível, fica menos tempo parado no trânsito e, para melhorar ainda mais, contribui com a sua saúde. Isso mesmo, percorrer parte do seu trajeto diário de bicicleta ou caminhando, pode contribuir consideravelmente, para a sua saúde, já que se você estará praticando uma atividade física. A lista de doenças que o exercício aeróbico ajuda a evitar é imensa: acidente vascular cerebral, depressão, ansiedade, osteoporose, artrose, obesidade, diabetes, câncer de intestino e muitas outras. Veja outros benefícios e boa caminhada! Diminui o estresse e a depressão: exercitar-se por 30 minutos, três vezes por semana, ajuda no tratamento de distúrbios psicológicos e pode ser tão eficiente no tratamento de depressão aguda quanto à utilização de medicamentos. Auxilia no controle do colesterol: o exercício aeróbico é uma atividade que emagrece, proporciona condicionamento cardiovascular e fortalece membros inferiores, além de reduzir as taxas de colesterol ruim e aumentar o colesterol bom. Bom para o coração: a atividade provoca a oxigenação cerebral e, se realizada rotineiramente, é capaz de liberar endorfinas, os hormônios que tranquilizam, e dão a sensação de bem-estar. Ossos mais fortes: assim como os músculos, os ossos se tornam mais fortes com as atividades físicas. Mais amigos: pessoas saudáveis se mantêm mais integradas na sociedade, são mais felizes e gentis. Não se esqueça de usar um calçado adequado para atividade e consultar um médico. ;D [post_title] => Gentileza gera... saúde! [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => gentileza-gera-saude [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2011-08-24 13:29:14 [post_modified_gmt] => 2011-08-24 15:29:14 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2257 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 0 [filter] => raw ) [9] => WP_Post Object ( [ID] => 2078 [post_author] => 2 [post_date] => 2011-07-26 16:35:15 [post_date_gmt] => 2011-07-26 18:35:15 [post_content] => Há algumas semanas falamos sobre os melhores locais para passear com a sua bike no fim de semana e sobre o comportamento ideal para evitar acidentes. O legal do incentivo ao uso da bicicleta é que, além de saudável, a prática no dia a dia impacta diretamente no trânsito e na qualidade do ar. No entanto, assim como a moto, andar de bike oferece riscos maiores do que de carro – já que o próprio veículo acaba protegendo você em caso de colisões Por isso, é importante andar atento e continuar seguindo as normas de segurança que falamos neste outro post . Por conta da vulnerabilidade do ciclista, os motoristas precisam redobrar a sua gentileza no trânsito, permitindo que eles trafeguem livremente e sem perigo. Ande com uma distância segura de 1,5 m, evite “dar” farol ou buzinar para não assustá-los e, jamais, use a faixa exclusiva para bicicletas. Os “gentis” do trânsito fazem isso como costume, mas não custa nada reforçar o que está na nossa legislação, no Código de Trânsito Brasileiro - CTB: - Art. 201: Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinquenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicleta: Infração média + multa. - Art. 184: Transitar com o veículo: II - na faixa ou pista da esquerda regulamentada como de circulação exclusiva para determinado tipo de veículo: Infração grave + multa. Prontos para sair e distribuir gentilezas por aí?

Há algumas semanas falamos sobre os melhores locais para passear com a sua bike no fim de semana e sobre o comportamento ideal para evitar acidentes. O legal do incentivo ao uso da bicicleta é que, além de saudável, a prática no dia a dia impacta diretamente no trânsito e na qualidade do ar.

No entanto, assim como a moto, andar de bike oferece riscos maiores do que de carro – já que o próprio veículo acaba protegendo você em caso de colisões Por isso, é importante andar atento e continuar seguindo as normas de segurança que falamos neste outro post[MMA1] .

Por conta da vulnerabilidade do ciclista, os motoristas precisam redobrar a sua gentileza no trânsito, permitindo que eles trafeguem livremente e sem perigo. Ande com uma distância segura de 1,5 m, evite “dar” farol ou buzinar para não assustá-los e, jamais, use a faixa exclusiva para bicicletas.

Os “gentis” do trânsito fazem isso como costume, mas não custa nada reforçar o que está na nossa legislação, no Código de Trânsito Brasileiro (CTB):

Art. 201: Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinquenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicleta: Infração média + multa.

Art. 184: Transitar com o veículo: II - na faixa ou pista da esquerda regulamentada como de circulação exclusiva para determinado tipo de veículo: Infração grave + multa.

Prontos para sair e distribuir gentilezas por aí?


[MMA1]*Vamos linkar o ‘neste post’ com esta URL http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/2011/dicas/rota-ideal-para-ciclistas/)

[post_title] => Motorista gentil, ciclista tranquilo [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => motorista-gentil-ciclista-tranquilo [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2011-07-26 16:35:15 [post_modified_gmt] => 2011-07-26 18:35:15 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2078 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 1 [filter] => raw ) ) [post_count] => 10 [current_post] => -1 [in_the_loop] => [post] => WP_Post Object ( [ID] => 3173 [post_author] => 2 [post_date] => 2013-08-13 15:27:17 [post_date_gmt] => 2013-08-13 17:27:17 [post_content] => Quem diz que não anda de bike porque nunca aprendeu ou tem medo de pedalar não tem mais desculpa para manter a bicicleta guardada na garagem. O projeto Bike Anjo ajuda a perder o medo de andar de bicicleta e até ensina a dar as primeiras pedaladas! Que a bicicleta é um meio de transporte eficiente, todos nós já sabemos. Mas, muitos têm medo do trânsito ou simplesmente não sabem andar de bicicleta. O primeiro caso é mais delicado, assunto para um próximo post, talvez. Mas, o segundo caso já tem solução! Pensando nesse medo que muitas pessoas têm, foi criado o projeto Bike Anjo que, de forma colaborativa, reúne diversos voluntários em pontos específicos das cidades de São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e muitos outros lugares. Juntos, eles ensinam a todos que estiverem dispostos a andar de bicicleta! No site do projeto, é possível se tornar um voluntário e ver onde serão os próximos encontros. Confere lá! [post_title] => Conheça o projeto Bike Anjo! [post_excerpt] => Quem diz que não anda de bike porque nunca aprendeu ou tem medo de pedalar não tem mais desculpa para manter a bicicleta guardada na garagem. O projeto Bike Anjo ajuda a perder o medo de andar de bicicleta e até ensina a dar as primeiras pedaladas! Que a bicicleta é um meio de transporte eficiente, todos nós já sabemos. Mas, muitos têm medo do trânsito ou simplesmente não sabem andar de bicicleta. O primeiro caso é mais delicado, assunto para um próximo post, talvez. Mas, o segundo caso já tem solução! Pensando nesse medo que muitas pessoas têm, foi criado o projeto Bike Anjo que, de forma colaborativa, reúne diversos voluntários em pontos específicos das cidades de São Paulo, Porto Alegre, Rio de Janeiro e muitos outros lugares. Juntos, eles ensinam a todos que estiverem dispostos a andar de bicicleta! No site do projeto, é possível se tornar um voluntário e ver onde serão os próximos encontros. Confere lá! [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => conheca-o-projeto-bike-anjo [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2013-08-13 15:27:17 [post_modified_gmt] => 2013-08-13 17:27:17 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => http://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=3173 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 0 [filter] => raw ) [comment_count] => 0 [current_comment] => -1 [found_posts] => 17 [max_num_pages] => 2 [max_num_comment_pages] => 0 [is_single] => [is_preview] => [is_page] => [is_archive] => 1 [is_date] => [is_year] => [is_month] => [is_day] => [is_time] => [is_author] => [is_category] => [is_tag] => 1 [is_tax] => [is_search] => [is_feed] => [is_comment_feed] => [is_trackback] => [is_home] => [is_404] => [is_embed] => [is_paged] => [is_admin] => [is_attachment] => [is_singular] => [is_robots] => [is_posts_page] => [is_post_type_archive] => [query_vars_hash:WP_Query:private] => 27129a7a2e9e6933c277cadd514e134a [query_vars_changed:WP_Query:private] => [thumbnails_cached] => [stopwords:WP_Query:private] => [compat_fields:WP_Query:private] => Array ( [0] => query_vars_hash [1] => query_vars_changed ) [compat_methods:WP_Query:private] => Array ( [0] => init_query_flags [1] => parse_tax_query ) )