Tag Archives: estresse

Por Gabi Bianco

Hoje, vindo para o trabalho, uma moça num carro grande dirigia à minha frente. Ela me fechou, mudou de pista sem dar seta, acelerou e jogou o carro em cima dos outros. Em determinado momento, fiquei irritada e dei uma buzinada – nada muito sério não, só aquele “bi bi” rápido pra mostrar que estava ali. A resposta dela? Fez um gesto com o braço e me xingou.

Olhei para o rosto dela. Sobrancelhas contraídas, os lábios apertados, olhar raivoso, rosto exausto. Na hora, ao invés de ficar doida de raiva e ter vontade de gritar com ela, me bateu um sentimento de empatia: aquela moça estava muito cansada.

Claro que cansaço não é desculpa pra dirigir de maneira imprudente, de forma alguma. Mas, a expressão exausta da moça fez com que, em vez de gritar de volta, minha resposta fosse um sorriso de leve. Uma vontade de parar o carro, abraçá-la e dizer “Calma, moça. Vai dar tudo certo, você vai chegar aonde precisa ir, eu também, aí a gente vai trabalhar e no fim do dia vamos cada uma pra sua casa, a vida continua e seremos felizes. Não precisa berrar não. Vai ficar tudo bem”.

Porque, quando a gente está dirigindo, estressado, cansado, bravo pra caramba, a vontade sempre é gritar de volta, ofender, xingar, devolver na mesma moeda. Só que, se a gente fizer isso, todo mundo perde. Agressão verbal (ou física!) é uma grande bobagem. Pra quê gritar? Todo mundo vai chegar aonde precisa ir. A diferença é que você pode chegar estressado ou calmo. E calmo é sempre melhor.

A blogueira Gabi Bianco é ligada em tudo que acontece dentro e fora das redes sociais. Gosta de muita coisa, mas, não deixa de se informar sobre o que não gosta. Justamente por isso, o seu blog, https://casadagabi.com, vai além dos assuntos femininos. Muito além. ;D

Como se não bastasse o estresse do dia a dia com as preocupações do trabalho, escola e casa, muita gente passa ainda mais nervoso se deslocando entre eles. Isso mesmo: no trânsito.

E não é só você, da cidade grande, que sofre deste problema. Os congestionamentos estão também em pequenas cidades e outros países do mundo. Ao menos, é o que diz um estudo realizado pelos pesquisadores da indústria de informática IBM.

O estudo buscava entender a atitude das pessoas em um congestionamento e descobriu que o trânsito vem melhorando, na opinião delas, mas, que a reação a esta situação é mais estressante do que antes. A pesquisa ainda aponta que os entrevistados estão conscientes da relação ‘menos trânsito – manutenção do estresse’ e, por consequência, da queda do rendimento e dedicação nas outras áreas da vida.

A pesquisa aponta que, nos países ricos, muita gente está deixando os carros em casa e aderindo ao transporte coletivo ou bicicleta, mesmo em cidades de trânsito caótico, como Cidade do México, Nova Delhi (Índia) e Shenzen (China).

Se você depende do seu carro no dia a dia, o que dificulta o combate ao trânsito, então, se planeje em busca de uma forma de não se estressar: saia mais cedo de casa, dê carona para alguém divertido, ouça uma boa música… Qual a sua dica?

**
Recebemos essa dica de pauta da nossa seguidora gentil @JoanaPomarole. Dê a sua sugestão também! 😉

Por André Aloi

Levantar da cama cedo é um martírio. Ainda mais quando você precisa enfrentar o trânsito das grandes metrópoles, principalmente São Paulo e Rio de Janeiro, cujos quilômetros de congestionamento aumentam a cada dia e batem novos recordes. Não é nada agradável sair de casa sabendo que você pode atrasar porque houve um acidente na principal avenida ou, simplesmente, porque todo mundo resolveu sair de casa na mesma hora (justo no dia do seu rodízio!). Tolerância é a palavra-chave para essas horas.

 Para tudo existe uma saída. No meu dia a dia, tento não me estressar tanto com as coisas por uma única razão: pela música. E falo isso pra minha mãe, que é sempre a “estressadinha”. Peço pra ela ter cuidado, porque não adianta xingar o motorista à frente, sem saber se ele pode estar armado… Enfim, seu limite de tolerância nem sempre é igual ao do outro. Nem a índole.

Então, eu ouço artistas que estão no meu iPod pra cozinhar, me preparar pra balada e, claro, dirigir. Meu dia é preenchido por música, seja de novos artistas (que falo no meu blog) ou antigas – faixas que marcaram ou estão marcando uma fase da minha vida. E, no trânsito, não é diferente.

Quando fui convidado para escrever este post, eu pensei: “nada mais justo do que eu falar de música”. E fiquei matutando quais seriam as que poderiam servir de alerta, orientação ou simplesmente para relaxar no trânsito. Ao começar o resgate, lembrei de clipes que tinham carros e, por alguma razão, poderiam servir de aviso. Então, aqui vão cinco músicas para você curtir enquanto está dirigindo. E, lembre-se: nada de se estressar porque – como em alguns clipes – acidentes não devem ser o desfecho para um dia chato, triste ou de mau humor.

 

REPENSAR ATITUDES
Radiohead – Karma Police | https://www.youtube.com/watch?v=IBH97ma9YiI

 

MELANCOLIA
Coldplay – The Scientist | https://www.youtube.com/watch?v=EqWLpTKBFcU

 

EXTRAVASAR SOZINHO
Alanis Morissette – Ironic | https://www.youtube.com/watch?v=Jne9t8sHpUc

 

ANIMAR
The Cardigans – My Favourite Game | https://www.youtube.com/watch?v=JsMUQK4jdsQ

 

CURTIR COM AMIGOS
Red Hot Chili Peppers – ScarTissue | https://www.youtube.com/watch?v=mzJj5-lubeM

 

**
André Aloi é um jovem quetem uma trilha sonora para tudo. No corre-corre do dia, ouve música para que o tempo passe mais devagar e memórias fiquem eternizadas sob refrões marcantes que tocam no seu iPod. É dono do blog Aos Cubos (www.aoscubos.com), um site de cultura pop que apresenta artistas e fala de apresentações gringasno Brasil. Também é redator no site da revista “QUEM” e, de vez em quando, dá sua opinião sobre CDs e DVDs no guia da revista “Rolling Stone”.

Por Carol Veronese – @carol_tomy

Todos os dias, quando acordamos, estamos à prova de novos desafios. Saber enfrentar o trânsito de São Paulo com tolerância e gentileza não deveria ser para poucos! Afinal, não é melhor manter a paz e o equilíbrio do que antecipar as rugas? Ser cordial não é mais fácil do que limpar o rímel depois do choro?

No meu dia-a-dia, utilizo o transporte coletivo e tenho infalíveis táticas de alívio: observar as placas dos automóveis e brincar com as palavras que se formam, contar quantas ‘Brasílias’ vejo nas ruas (estão sumidas né?), planejar mentalmente o meu dia e a minha semana, pensar em assuntos legais para o meu blog e, o mais importante de todos, rever minhas atitudes.

Se cada um de nós parasse cinco minutinhos para rever nosso comportamento, muitas vezes impulsivo, pensaríamos mais antes de cometer atos falhos, certo? Então, vamos ser mais tolerantes!

Estão buzinando? Dê passagem. Xingaram? Ligue o rádio. Farol alto? Sorria. Trânsito que não anda? Cante uma música. Conversa desnecessária no coletivo? Coloque o fone. Impaciente? Leia um livro. Não sabe o que fazer? Durma. Afinal, nossa vida é mais importante do que perdê-la por falta de bom senso.

Não importa o modo como os outros nos tratam, gentileza gera gentileza.

**
carol
Carol Veronese é uma jovem que não deixa a gentileza de lado no corre-corre do dia, se preocupa em sair de casa bela, mas, jamais esquece o bom senso em casa. É dona do blog Retratos & Retalhos, uma página para jovens mulheres que buscam mais que novidades, buscam felicidade. Conheça: https://www.retratoseretalhos.com.br

Carro, ônibus, trem, bicicleta, calçada, rua asfaltada, faixa de pedestre… Esses são apenas alguns dos meios de transportes, vias e sinalizações criados para facilitar a nossa vida e trazer mais segurança quando a gente precisa se deslocar nas cidades. Usando com cautela e gentileza, é tudo uma maravilha.

E o que acontece quando todos saem às ruas com seus carros e deixam de utilizar o transporte público ou alternativo (a bicicleta, por exemplo), ou ainda, deixam de respeitar a faixa de pedestre? Pois é. De nada adiantam todos esses recursos para tornar o nosso deslocamento mais cômodo e seguro, quando a falta de gentileza e o bom senso são responsáveis por boa parte do estresse e da violência no trânsito. 

Por isso, o Trânsito+gentil decidiu estender a Semana Nacional do Trânsito, que é comemorada entre os dias 18 e 25 de setembro, para o mês todo. A nossa intenção nesta data é alertar sobre o uso consciente do carro e encontrar alternativas junto com vocês para que as distâncias de casa, trabalho e colégio/faculdade sejam mais divertidas e seguras.

Ao logo das próximas semanas, muita coisa vai acontecer nas redes do Trânsito+gentil (e nas ruas também!). Fiquem atentos e participem =)

Canais do Trânsito+gentil:
YouTube: https://gentil.vc/tmgyt
Twitter: https://twitter.com/transitogentil
Facebook: https://www.facebook.com/transitomaisgentil
Orkut: https://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=93837645

Cada dia está mais difícil enfrentar as ruas, não é mesmo? De caminhão, carro, moto, bicicleta e, até mesmo, a pé. E precisa ser muito gentil para não permitir que o trânsito acabe com a gentileza de quem circula pelas ruas.

Quando você deixa o seu carro ou moto em casa e opta por meios mais rápidos, como ir de transporte coletivo ou de bike, você contribui com o meio ambiente, diminui os gastos com estacionamento e combustível, fica menos tempo parado no trânsito e, para melhorar ainda mais, contribui com a sua saúde.

Isso mesmo, percorrer parte do seu trajeto diário de bicicleta ou caminhando, pode contribuir consideravelmente, para a sua saúde, já que se você estará praticando uma atividade física. A lista de doenças que o exercício aeróbico ajuda a evitar é imensa: acidente vascular cerebral, depressão, ansiedade, osteoporose, artrose, obesidade, diabetes, câncer de intestino e muitas outras.

Veja outros benefícios e boa caminhada!
Diminui o estresse e a depressão: exercitar-se por 30 minutos, três vezes por semana, ajuda no tratamento de distúrbios psicológicos e pode ser tão eficiente no tratamento de depressão aguda quanto à utilização de medicamentos.
Auxilia no controle do colesterol: o exercício aeróbico é uma atividade que emagrece, proporciona condicionamento cardiovascular e fortalece membros inferiores, além de reduzir as taxas de colesterol ruim e aumentar o colesterol bom.
Bom para o coração: a atividade provoca a oxigenação cerebral e, se realizada rotineiramente, é capaz de liberar endorfinas, os hormônios que tranquilizam, e dão a sensação de bem-estar.
Ossos mais fortes: assim como os músculos, os ossos se tornam mais fortes com as atividades físicas.
Mais amigos: pessoas saudáveis se mantêm mais integradas na sociedade, são mais felizes e gentis.

Não se esqueça de usar um calçado adequado para atividade e consultar um médico. ;D

WP_Query Object
(
    [query] => Array
        (
            [tag] => estresse
        )

    [query_vars] => Array
        (
            [tag] => estresse
            [error] => 
            [m] => 
            [p] => 0
            [post_parent] => 
            [subpost] => 
            [subpost_id] => 
            [attachment] => 
            [attachment_id] => 0
            [name] => 
            [static] => 
            [pagename] => 
            [page_id] => 0
            [second] => 
            [minute] => 
            [hour] => 
            [day] => 0
            [monthnum] => 0
            [year] => 0
            [w] => 0
            [category_name] => 
            [cat] => 
            [tag_id] => 612
            [author] => 
            [author_name] => 
            [feed] => 
            [tb] => 
            [paged] => 0
            [meta_key] => 
            [meta_value] => 
            [preview] => 
            [s] => 
            [sentence] => 
            [title] => 
            [fields] => 
            [menu_order] => 
            [embed] => 
            [category__in] => Array
                (
                )

            [category__not_in] => Array
                (
                )

            [category__and] => Array
                (
                )

            [post__in] => Array
                (
                )

            [post__not_in] => Array
                (
                )

            [post_name__in] => Array
                (
                )

            [tag__in] => Array
                (
                )

            [tag__not_in] => Array
                (
                )

            [tag__and] => Array
                (
                )

            [tag_slug__in] => Array
                (
                    [0] => estresse
                )

            [tag_slug__and] => Array
                (
                )

            [post_parent__in] => Array
                (
                )

            [post_parent__not_in] => Array
                (
                )

            [author__in] => Array
                (
                )

            [author__not_in] => Array
                (
                )

            [ignore_sticky_posts] => 
            [suppress_filters] => 
            [cache_results] => 1
            [update_post_term_cache] => 1
            [lazy_load_term_meta] => 1
            [update_post_meta_cache] => 1
            [post_type] => 
            [posts_per_page] => 10
            [nopaging] => 
            [comments_per_page] => 50
            [no_found_rows] => 
            [order] => DESC
        )

    [tax_query] => WP_Tax_Query Object
        (
            [queries] => Array
                (
                    [0] => Array
                        (
                            [taxonomy] => post_tag
                            [terms] => Array
                                (
                                    [0] => estresse
                                )

                            [field] => slug
                            [operator] => IN
                            [include_children] => 1
                        )

                )

            [relation] => AND
            [table_aliases:protected] => Array
                (
                    [0] => t_g_term_relationships
                )

            [queried_terms] => Array
                (
                    [post_tag] => Array
                        (
                            [terms] => Array
                                (
                                    [0] => estresse
                                )

                            [field] => slug
                        )

                )

            [primary_table] => t_g_posts
            [primary_id_column] => ID
        )

    [meta_query] => WP_Meta_Query Object
        (
            [queries] => Array
                (
                )

            [relation] => 
            [meta_table] => 
            [meta_id_column] => 
            [primary_table] => 
            [primary_id_column] => 
            [table_aliases:protected] => Array
                (
                )

            [clauses:protected] => Array
                (
                )

            [has_or_relation:protected] => 
        )

    [date_query] => 
    [queried_object] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 612
            [name] => estresse
            [slug] => estresse
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 612
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 6
            [filter] => raw
        )

    [queried_object_id] => 612
    [request] => SELECT SQL_CALC_FOUND_ROWS  t_g_posts.ID FROM t_g_posts  LEFT JOIN t_g_term_relationships ON (t_g_posts.ID = t_g_term_relationships.object_id) WHERE 1=1  AND ( 
  t_g_term_relationships.term_taxonomy_id IN (612)
) AND t_g_posts.post_type = 'post' AND (t_g_posts.post_status = 'publish') GROUP BY t_g_posts.ID ORDER BY t_g_posts.post_date DESC LIMIT 0, 10
    [posts] => Array
        (
            [0] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 2490
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2011-10-14 16:03:56
                    [post_date_gmt] => 2011-10-14 18:03:56
                    [post_content] => Por Gabi Bianco

Hoje, vindo para o trabalho, uma moça num carro grande dirigia à minha frente. Ela me fechou, mudou de pista sem dar seta, acelerou e jogou o carro em cima dos outros. Em determinado momento, fiquei irritada e dei uma buzinada – nada muito sério não, só aquele “bi bi” rápido pra mostrar que estava ali. A resposta dela? Fez um gesto com o braço e me xingou. 

Olhei para o rosto dela. Sobrancelhas contraídas, os lábios apertados, olhar raivoso, rosto exausto. Na hora, ao invés de ficar doida de raiva e ter vontade de gritar com ela, me bateu um sentimento de empatia: aquela moça estava muito cansada. 

Claro que cansaço não é desculpa pra dirigir de maneira imprudente, de forma alguma. Mas, a expressão exausta da moça fez com que, em vez de gritar de volta, minha resposta fosse um sorriso de leve. Uma vontade de parar o carro, abraçá-la e dizer “Calma, moça. Vai dar tudo certo, você vai chegar aonde precisa ir, eu também, aí a gente vai trabalhar e no fim do dia vamos cada uma pra sua casa, a vida continua e seremos felizes. Não precisa berrar não. Vai ficar tudo bem”. 

Porque, quando a gente está dirigindo, estressado, cansado, bravo pra caramba, a vontade sempre é gritar de volta, ofender, xingar, devolver na mesma moeda. Só que, se a gente fizer isso, todo mundo perde. Agressão verbal (ou física!) é uma grande bobagem. Pra quê gritar? Todo mundo vai chegar aonde precisa ir. A diferença é que você pode chegar estressado ou calmo. E calmo é sempre melhor.

--

A blogueira Gabi Bianco é ligada em tudo que acontece dentro e fora das redes sociais. Gosta de muita coisa, mas, não deixa de se informar sobre o que não gosta. Justamente por isso, o seu blog, https://casadagabi.com, vai além dos assuntos femininos. Muito além. ;D

                    [post_title] => Não opte pelo mau humor
                    [post_excerpt] => 
                    [post_status] => publish
                    [comment_status] => open
                    [ping_status] => open
                    [post_password] => 
                    [post_name] => nao-opte-pelo-mau-humor
                    [to_ping] => 
                    [pinged] => 
                    [post_modified] => 2011-10-14 16:03:56
                    [post_modified_gmt] => 2011-10-14 18:03:56
                    [post_content_filtered] => 
                    [post_parent] => 0
                    [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2490
                    [menu_order] => 0
                    [post_type] => post
                    [post_mime_type] => 
                    [comment_count] => 0
                    [filter] => raw
                )

            [1] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 2464
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2011-10-10 17:15:17
                    [post_date_gmt] => 2011-10-10 19:15:17
                    [post_content] => Como se não bastasse o estresse do dia a dia com as preocupações do trabalho, escola e casa, muita gente passa ainda mais nervoso se deslocando entre eles. Isso mesmo: no trânsito.

E não é só você, da cidade grande, que sofre deste problema. Os congestionamentos estão também em pequenas cidades e outros países do mundo. Ao menos, é o que diz um estudo realizado pelos pesquisadores da indústria de informática IBM.

O estudo buscava entender a atitude das pessoas em um congestionamento e descobriu que o trânsito vem melhorando, na opinião delas, mas, que a reação a esta situação é mais estressante do que antes. A pesquisa ainda aponta que os entrevistados estão conscientes da relação ‘menos trânsito - manutenção do estresse’ e, por consequência, da queda do rendimento e dedicação nas outras áreas da vida.

A pesquisa aponta que, nos países ricos, muita gente está deixando os carros em casa e aderindo ao transporte coletivo ou bicicleta, mesmo em cidades de trânsito caótico, como Cidade do México, Nova Delhi (Índia) e Shenzen (China).

Se você depende do seu carro no dia a dia, o que dificulta o combate ao trânsito, então, se planeje em busca de uma forma de não se estressar: saia mais cedo de casa, dê carona para alguém divertido, ouça uma boa música... Qual a sua dica?

**
Recebemos essa dica de pauta da nossa seguidora gentil @JoanaPomarole. Dê a sua sugestão também! ;)
                    [post_title] => Trânsito + estresse: tô fora!
                    [post_excerpt] => 
                    [post_status] => publish
                    [comment_status] => open
                    [ping_status] => open
                    [post_password] => 
                    [post_name] => transito-estresse-to-fora
                    [to_ping] => 
                    [pinged] => 
                    [post_modified] => 2011-10-10 17:15:17
                    [post_modified_gmt] => 2011-10-10 19:15:17
                    [post_content_filtered] => 
                    [post_parent] => 0
                    [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2464
                    [menu_order] => 0
                    [post_type] => post
                    [post_mime_type] => 
                    [comment_count] => 2
                    [filter] => raw
                )

            [2] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 2453
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2011-10-04 12:15:37
                    [post_date_gmt] => 2011-10-04 14:15:37
                    [post_content] => Por André Aloi

Levantar da cama cedo é um martírio. Ainda mais quando você precisa enfrentar o trânsito das grandes metrópoles, principalmente São Paulo e Rio de Janeiro, cujos quilômetros de congestionamento aumentam a cada dia e batem novos recordes. Não é nada agradável sair de casa sabendo que você pode atrasar porque houve um acidente na principal avenida ou, simplesmente, porque todo mundo resolveu sair de casa na mesma hora (justo no dia do seu rodízio!). Tolerância é a palavra-chave para essas horas.

 Para tudo existe uma saída. No meu dia a dia, tento não me estressar tanto com as coisas por uma única razão: pela música. E falo isso pra minha mãe, que é sempre a "estressadinha". Peço pra ela ter cuidado, porque não adianta xingar o motorista à frente, sem saber se ele pode estar armado... Enfim, seu limite de tolerância nem sempre é igual ao do outro. Nem a índole.

Então, eu ouço artistas que estão no meu iPod pra cozinhar, me preparar pra balada e, claro, dirigir. Meu dia é preenchido por música, seja de novos artistas (que falo no meu blog) ou antigas – faixas que marcaram ou estão marcando uma fase da minha vida. E, no trânsito, não é diferente.

Quando fui convidado para escrever este post, eu pensei: "nada mais justo do que eu falar de música". E fiquei matutando quais seriam as que poderiam servir de alerta, orientação ou simplesmente para relaxar no trânsito. Ao começar o resgate, lembrei de clipes que tinham carros e, por alguma razão, poderiam servir de aviso. Então, aqui vão cinco músicas para você curtir enquanto está dirigindo. E, lembre-se: nada de se estressar porque - como em alguns clipes – acidentes não devem ser o desfecho para um dia chato, triste ou de mau humor.

 

REPENSAR ATITUDES
Radiohead - Karma Police | https://www.youtube.com/watch?v=IBH97ma9YiI

 

MELANCOLIA
Coldplay - The Scientist | https://www.youtube.com/watch?v=EqWLpTKBFcU

 

EXTRAVASAR SOZINHO
Alanis Morissette - Ironic | https://www.youtube.com/watch?v=Jne9t8sHpUc

 

ANIMAR
The Cardigans - My Favourite Game | https://www.youtube.com/watch?v=JsMUQK4jdsQ

 

CURTIR COM AMIGOS
Red Hot Chili Peppers - ScarTissue | https://www.youtube.com/watch?v=mzJj5-lubeM

 

**
André Aloi é um jovem quetem uma trilha sonora para tudo. No corre-corre do dia, ouve música para que o tempo passe mais devagar e memórias fiquem eternizadas sob refrões marcantes que tocam no seu iPod. É dono do blog Aos Cubos (www.aoscubos.com), um site de cultura pop que apresenta artistas e fala de apresentações gringasno Brasil. Também é redator no site da revista "QUEM" e, de vez em quando, dá sua opinião sobre CDs e DVDs no guia da revista "Rolling Stone".
                    [post_title] => Música pode ser o remédio para eliminar ou aliviar o estresse no trânsito
                    [post_excerpt] => 
                    [post_status] => publish
                    [comment_status] => open
                    [ping_status] => open
                    [post_password] => 
                    [post_name] => musica-pode-ser-o-remedio-para-eliminar-ou-aliviar-o-estresse-no-transito
                    [to_ping] => 
                    [pinged] => 
                    [post_modified] => 2011-10-04 12:15:37
                    [post_modified_gmt] => 2011-10-04 14:15:37
                    [post_content_filtered] => 
                    [post_parent] => 0
                    [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2453
                    [menu_order] => 0
                    [post_type] => post
                    [post_mime_type] => 
                    [comment_count] => 5
                    [filter] => raw
                )

            [3] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 2407
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2011-09-22 17:08:53
                    [post_date_gmt] => 2011-09-22 19:08:53
                    [post_content] => Por Carol Veronese - @carol_tomy

Todos os dias, quando acordamos, estamos à prova de novos desafios. Saber enfrentar o trânsito de São Paulo com tolerância e gentileza não deveria ser para poucos! Afinal, não é melhor manter a paz e o equilíbrio do que antecipar as rugas? Ser cordial não é mais fácil do que limpar o rímel depois do choro?

No meu dia-a-dia, utilizo o transporte coletivo e tenho infalíveis táticas de alívio: observar as placas dos automóveis e brincar com as palavras que se formam, contar quantas ‘Brasílias’ vejo nas ruas (estão sumidas né?), planejar mentalmente o meu dia e a minha semana, pensar em assuntos legais para o meu blog e, o mais importante de todos, rever minhas atitudes. 

Se cada um de nós parasse cinco minutinhos para rever nosso comportamento, muitas vezes impulsivo, pensaríamos mais antes de cometer atos falhos, certo? Então, vamos ser mais tolerantes!

Estão buzinando? Dê passagem. Xingaram? Ligue o rádio. Farol alto? Sorria. Trânsito que não anda? Cante uma música. Conversa desnecessária no coletivo? Coloque o fone. Impaciente? Leia um livro. Não sabe o que fazer? Durma. Afinal, nossa vida é mais importante do que perdê-la por falta de bom senso.

Não importa o modo como os outros nos tratam, gentileza gera gentileza.

**
carol
Carol Veronese é uma jovem que não deixa a gentileza de lado no corre-corre do dia, se preocupa em sair de casa bela, mas, jamais esquece o bom senso em casa. É dona do blog Retratos & Retalhos, uma página para jovens mulheres que buscam mais que novidades, buscam felicidade. Conheça: https://www.retratoseretalhos.com.br
                    [post_title] => Tempo no trânsito: uma pausa para revermos nosso comportamento
                    [post_excerpt] => 
                    [post_status] => publish
                    [comment_status] => open
                    [ping_status] => open
                    [post_password] => 
                    [post_name] => tempo-no-transito-uma-pausa-para-revermos-nosso-comportamento
                    [to_ping] => 
                    [pinged] => 
                    [post_modified] => 2011-09-22 17:08:53
                    [post_modified_gmt] => 2011-09-22 19:08:53
                    [post_content_filtered] => 
                    [post_parent] => 0
                    [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2407
                    [menu_order] => 0
                    [post_type] => post
                    [post_mime_type] => 
                    [comment_count] => 4
                    [filter] => raw
                )

            [4] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 2297
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2011-09-01 09:21:26
                    [post_date_gmt] => 2011-09-01 11:21:26
                    [post_content] => Carro, ônibus, trem, bicicleta, calçada, rua asfaltada, faixa de pedestre... Esses são apenas alguns dos meios de transportes, vias e sinalizações criados para facilitar a nossa vida e trazer mais segurança quando a gente precisa se deslocar nas cidades. Usando com cautela e gentileza, é tudo uma maravilha.

E o que acontece quando todos saem às ruas com seus carros e deixam de utilizar o transporte público ou alternativo (a bicicleta, por exemplo), ou ainda, deixam de respeitar a faixa de pedestre? Pois é. De nada adiantam todos esses recursos para tornar o nosso deslocamento mais cômodo e seguro, quando a falta de gentileza e o bom senso são responsáveis por boa parte do estresse e da violência no trânsito. 

Por isso, o Trânsito+gentil decidiu estender a Semana Nacional do Trânsito, que é comemorada entre os dias 18 e 25 de setembro, para o mês todo. A nossa intenção nesta data é alertar sobre o uso consciente do carro e encontrar alternativas junto com vocês para que as distâncias de casa, trabalho e colégio/faculdade sejam mais divertidas e seguras.

Ao logo das próximas semanas, muita coisa vai acontecer nas redes do Trânsito+gentil (e nas ruas também!). Fiquem atentos e participem =)

Canais do Trânsito+gentil:
YouTube: https://gentil.vc/tmgyt
Twitter: https://twitter.com/transitogentil
Facebook: https://www.facebook.com/transitomaisgentil�
Orkut: https://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=93837645
                    [post_title] => Setembro é mês do trânsito
                    [post_excerpt] => 
                    [post_status] => publish
                    [comment_status] => open
                    [ping_status] => open
                    [post_password] => 
                    [post_name] => setembro-e-mes-do-transito
                    [to_ping] => 
                    [pinged] => 
                    [post_modified] => 2011-09-01 09:21:26
                    [post_modified_gmt] => 2011-09-01 11:21:26
                    [post_content_filtered] => 
                    [post_parent] => 0
                    [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2297
                    [menu_order] => 0
                    [post_type] => post
                    [post_mime_type] => 
                    [comment_count] => 2
                    [filter] => raw
                )

            [5] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 2257
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2011-08-24 13:29:14
                    [post_date_gmt] => 2011-08-24 15:29:14
                    [post_content] => Cada dia está mais difícil enfrentar as ruas, não é mesmo? De caminhão, carro, moto, bicicleta e, até mesmo, a pé. E precisa ser muito gentil para não permitir que o trânsito acabe com a gentileza de quem circula pelas ruas.

Quando você deixa o seu carro ou moto em casa e opta por meios mais rápidos, como ir de transporte coletivo ou de bike, você contribui com o meio ambiente, diminui os gastos com estacionamento e combustível, fica menos tempo parado no trânsito e, para melhorar ainda mais, contribui com a sua saúde.

Isso mesmo, percorrer parte do seu trajeto diário de bicicleta ou caminhando, pode contribuir consideravelmente, para a sua saúde, já que se você estará praticando uma atividade física. A lista de doenças que o exercício aeróbico ajuda a evitar é imensa: acidente vascular cerebral, depressão, ansiedade, osteoporose, artrose, obesidade, diabetes, câncer de intestino e muitas outras. 

Veja outros benefícios e boa caminhada!
Diminui o estresse e a depressão: exercitar-se por 30 minutos, três vezes por semana, ajuda no tratamento de distúrbios psicológicos e pode ser tão eficiente no tratamento de depressão aguda quanto à utilização de medicamentos.
Auxilia no controle do colesterol: o exercício aeróbico é uma atividade que emagrece, proporciona condicionamento cardiovascular e fortalece membros inferiores, além de reduzir as taxas de colesterol ruim e aumentar o colesterol bom.
Bom para o coração: a atividade provoca a oxigenação cerebral e, se realizada rotineiramente, é capaz de liberar endorfinas, os hormônios que tranquilizam, e dão a sensação de bem-estar.
Ossos mais fortes: assim como os músculos, os ossos se tornam mais fortes com as atividades físicas.
Mais amigos: pessoas saudáveis se mantêm mais integradas na sociedade, são mais felizes e gentis.

Não se esqueça de usar um calçado adequado para atividade e consultar um médico. ;D
                    [post_title] => Gentileza gera... saúde!
                    [post_excerpt] => 
                    [post_status] => publish
                    [comment_status] => open
                    [ping_status] => open
                    [post_password] => 
                    [post_name] => gentileza-gera-saude
                    [to_ping] => 
                    [pinged] => 
                    [post_modified] => 2011-08-24 13:29:14
                    [post_modified_gmt] => 2011-08-24 15:29:14
                    [post_content_filtered] => 
                    [post_parent] => 0
                    [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2257
                    [menu_order] => 0
                    [post_type] => post
                    [post_mime_type] => 
                    [comment_count] => 0
                    [filter] => raw
                )

        )

    [post_count] => 6
    [current_post] => -1
    [in_the_loop] => 
    [post] => WP_Post Object
        (
            [ID] => 2490
            [post_author] => 2
            [post_date] => 2011-10-14 16:03:56
            [post_date_gmt] => 2011-10-14 18:03:56
            [post_content] => Por Gabi Bianco

Hoje, vindo para o trabalho, uma moça num carro grande dirigia à minha frente. Ela me fechou, mudou de pista sem dar seta, acelerou e jogou o carro em cima dos outros. Em determinado momento, fiquei irritada e dei uma buzinada – nada muito sério não, só aquele “bi bi” rápido pra mostrar que estava ali. A resposta dela? Fez um gesto com o braço e me xingou. 

Olhei para o rosto dela. Sobrancelhas contraídas, os lábios apertados, olhar raivoso, rosto exausto. Na hora, ao invés de ficar doida de raiva e ter vontade de gritar com ela, me bateu um sentimento de empatia: aquela moça estava muito cansada. 

Claro que cansaço não é desculpa pra dirigir de maneira imprudente, de forma alguma. Mas, a expressão exausta da moça fez com que, em vez de gritar de volta, minha resposta fosse um sorriso de leve. Uma vontade de parar o carro, abraçá-la e dizer “Calma, moça. Vai dar tudo certo, você vai chegar aonde precisa ir, eu também, aí a gente vai trabalhar e no fim do dia vamos cada uma pra sua casa, a vida continua e seremos felizes. Não precisa berrar não. Vai ficar tudo bem”. 

Porque, quando a gente está dirigindo, estressado, cansado, bravo pra caramba, a vontade sempre é gritar de volta, ofender, xingar, devolver na mesma moeda. Só que, se a gente fizer isso, todo mundo perde. Agressão verbal (ou física!) é uma grande bobagem. Pra quê gritar? Todo mundo vai chegar aonde precisa ir. A diferença é que você pode chegar estressado ou calmo. E calmo é sempre melhor.

--

A blogueira Gabi Bianco é ligada em tudo que acontece dentro e fora das redes sociais. Gosta de muita coisa, mas, não deixa de se informar sobre o que não gosta. Justamente por isso, o seu blog, https://casadagabi.com, vai além dos assuntos femininos. Muito além. ;D

            [post_title] => Não opte pelo mau humor
            [post_excerpt] => 
            [post_status] => publish
            [comment_status] => open
            [ping_status] => open
            [post_password] => 
            [post_name] => nao-opte-pelo-mau-humor
            [to_ping] => 
            [pinged] => 
            [post_modified] => 2011-10-14 16:03:56
            [post_modified_gmt] => 2011-10-14 18:03:56
            [post_content_filtered] => 
            [post_parent] => 0
            [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2490
            [menu_order] => 0
            [post_type] => post
            [post_mime_type] => 
            [comment_count] => 0
            [filter] => raw
        )

    [comment_count] => 0
    [current_comment] => -1
    [found_posts] => 6
    [max_num_pages] => 1
    [max_num_comment_pages] => 0
    [is_single] => 
    [is_preview] => 
    [is_page] => 
    [is_archive] => 1
    [is_date] => 
    [is_year] => 
    [is_month] => 
    [is_day] => 
    [is_time] => 
    [is_author] => 
    [is_category] => 
    [is_tag] => 1
    [is_tax] => 
    [is_search] => 
    [is_feed] => 
    [is_comment_feed] => 
    [is_trackback] => 
    [is_home] => 
    [is_404] => 
    [is_embed] => 
    [is_paged] => 
    [is_admin] => 
    [is_attachment] => 
    [is_singular] => 
    [is_robots] => 
    [is_posts_page] => 
    [is_post_type_archive] => 
    [query_vars_hash:WP_Query:private] => e4e892f507ffa481b0f96355c242c591
    [query_vars_changed:WP_Query:private] => 
    [thumbnails_cached] => 
    [stopwords:WP_Query:private] => 
    [compat_fields:WP_Query:private] => Array
        (
            [0] => query_vars_hash
            [1] => query_vars_changed
        )

    [compat_methods:WP_Query:private] => Array
        (
            [0] => init_query_flags
            [1] => parse_tax_query
        )

)