Tag Archives: Trânsito+Gentil

153896094

O cotidiano moderno em que vivemos nos leva cada vez mais à necessidade de estarmos sempre informados. É fato que os celulares evoluíram para facilitar a nossa vida: além das ligações e torpedos, agora também podemos checar as redes sociais, navegar por sites, trocar mensagens instantâneas e ainda existe uma infinidade de aplicativos. No entanto, ao dirigir, essa necessidade ocupa as mãos e o cuidado que deveriam estar no volante e, assim, reduzimos nossa atenção no trânsito.

Em um estudo realizado com 2 mil pessoas*, 24% dos entrevistados assumiram usar o smartphone ao dirigir, o que tem feito com que cada vez mais motoristas se envolvam em acidentes por distração. Quando se guia um automóvel, deve-se estar sempre com a visão atenta ao redor e ao andamento do tráfego, pois uma pequena distração pode acarretar um acidente sério.

A multa para quem infringir a lei é de R$ 85,13, considerada uma infração média, e o motorista acumula quatro pontos na carteira. E não é só o celular na mão o “vilão”: até mesmo o uso do viva-voz pode ser prejudicial à atenção do motorista.

Para evitar acidentes, é fundamental que os motoristas se conscientizem dos riscos aos quais se expõem e expõem todos os outros ao redor. Então, lembre-se: deixar seu celular desligado durante a direção garante a segurança do tráfego, a de todos na rua e a sua.

*Fonte: https://www.denatran.gov.br/

820032_36625992

Que a música mexe com os nossos sentimentos, todo mundo sabe. No trânsito, é a mesma coisa: uma composição calma deixa motoristas tranquilos, enquanto um som pesado estimula as pessoas, podendo deixá-las mais nervosas e tensas. Que tal apelar para melodias gentis com a nossa ajuda?

Se música erudita relaxa, a música popular prende menos a atenção. Uma pesquisa realizada na Inglaterra com motoristas revelou que 60% dos entrevistados se sentem influenciados pelas músicas que escutam enquanto dirigem. Já 15% reconheceram que as melodias agressivas, como um rock mais pesado, os levam a dirigir mais rápido.

Além da música, ouvir a transmissão de uma partida de futebol também pode comprometer a direção. A Universidade de Leicester, na Inglaterra, divulgou um estudo no qual aponta que 2 milhões de pessoas sofreram acidentes ou escaparam por pouco de um enquanto escutavam um jogo pelo rádio.

O pior momento, claro, costuma ser aquele em que há uma situação de risco – como o time adversário perto de marcar um gol ou um jogador importante prestes a ser expulso de campo. Nada estranho para quem é fanático por futebol.  Para os torcedores apaixonados, o ideal é evitar ouvir o jogo do time do coração enquanto dirige. Mas, o mais importante mesmo, é lembrar que, a partir do momento que se assume a direção de um veículo, a sintonia deve ser na direção segura, na precaução, no respeito e na segurança.

Que tal conferir uma sugestão de playlist preparada pelo Trânsito+gentil pra você ouvir.

Internacionais:

Red Hot Chili Peppers – Under The Bridge

The Police – Every Breath You take

Blind Melon – No Rain

Ben Harper – Diamonds On the Inside

Donavon Frankenreiter – Free

Jack Johnson – Upside Down

Air – Playground Love

The Eagles – Hotel California

Jason Mraz – I Won’t Give Up

Feist – I Feel It All

Nacionais:

Djavan – Se

Nando Reis – Pra você guardei o amor

Marisa Monte – Ainda bem

Roberta Sá e Chico Buarque – Mambembe

Tom Jobim – Chega De Saudade

Marcelo Jeneci – Felicidade

Legião Urbana – Vento no Litoral

Claudinho e Buchecha – Fico Assim sem Você

Vanessa da Mata – Boa sorte/Amado

Maria Gadu – Quando fui chuva

engarrafamento

É comum, mas não deveria ser tão habitual assim: nas grandes cidades do País, basta rodar poucos quilômetros para se deparar com um congestionamento daqueles. Ficar parado no trânsito causa estresse e, de acordo com cardiologistas, pode até trazer problemas de hipertensão.

Você pode “equipar” seu carro com alternativas que podem ajudar a encarar o trânsito sem perder a calma. Uma dica é utilizar uma almofada para o banco do carro, ideal para apoiar a coluna lombar caso o encosto não possua esse tipo de regulagem. Isso evita problemas nas articulações e deixa o corpo mais relaxado.

Outra dica é oferecer carona para amigos, parentes ou colegas de trabalho. Diante de um trânsito ruim, vocês podem conversar e se divertir – o que faz o tempo passar bem mais rápido. Quem usa o carro sozinho pode aproveitar o congestionamento para ouvir uma seleção especial de músicas para relaxar ou ouvir CDs de cursos, por exemplo.

Mesmo que sejam saídas tentadoras para períodos ociosos, as revistas, palavras cruzadas, videogames portáteis (e até os smartphones e tablets!) oferecem inúmeros riscos ao motorista, porque exigem muita atenção. Por isso, nunca use-os ao volante!

Anda com pouca sorte nas escolas dos caminhos com menos trânsito? Então, a dica para evitar os engarrafamentos é usar um sistema que mostre o trânsito em tempo real. Os motoristas da região metropolitana do Rio de Janeiro e da Grande São Paulo podem contar com o Porto Vias. Ele mostra a situação do trânsito em tempo real e você pode comparar os caminhos cadastrados para escolher o mais tranquilo.

Você tem outras dicas de como aproveitar o tempo enquanto está parado nos caminhos do dia a dia? Conte para a gente!

A falta de gentilezas e de respeito entre os condutores dificulta a qualidade de vida nas ruas. Com mais colaboração entre os motoristas, teríamos menos situações desgastantes nas ruas. E nem é (tão) difícil. Basta uma mudança de postura e de visão em relação às pessoas que estão ao seu redor. Fica o convite: confira essa compilação de dicas gentis e reflita. 🙂

  • É muito chato quando você quer mudar de faixa e o motorista ao lado não te dá passagem, né? Não aja como ele quando outro motorista quiser trocar de pista. O que vai, volta.
  • Não, “um minutinho” não é inofensivo. Nunca pare em fila dupla ou em locais proibidos. Esse “minutinho” pode prejudicar o fluxo do trânsito e causar um baita congestionamento!
  • Sempre dê a seta de direção para o motorista de trás (ou ao lado) saber o que você vai fazer. Faça isso até mesmo quando não houver outros carros por perto, assim você adquire o hábito e também sinaliza aos pedestres e ciclistas.
  • Ao procurar vaga no estacionamento do shopping ou do supermercado, não obstrua o corredor dirigindo devagar. Se você precisar mesmo encontrar uma vaga naquele piso, pelo menos deixe o carro de trás ultrapassá-lo.
  • Se você se deparar com um carro em manobra ou saindo de uma vaga (ou garagem), espere o motorista terminar, ao invés de ir para cima dele,  impedindo-o de sair.
  • Nunca buzine sem necessidade. Isso ajuda a diminuir a poluição sonora e evita sustos desnecessários nas ruas!
  • Não parar em cima da faixa de pedestre é bom, mas melhor ainda é não acelerar quando enxergar uma pessoa atravessando a rua, mesmo que ela esteja distante da faixa.
  • Esteja sempre atento ao trânsito e dirija em velocidade compatível com o fluxo. Se estiver devagar, mantenha-se na faixa da direita. Assim, você não atrasa os carros atrás de você.
  • Jamais dirija como se estivesse competindo. Isso vale para quem praticamente encosta no carro da frente, pra quem costura entre as pistas e pra quem força a entrada em uma pista.

carro
E você, tem mais alguma dica gentil? Pode mandar, quem sabe ela não vem parar aqui?

Quem está certo e quem está errado na relação entre motoristas e ciclistas no trânsito? Sem resposta concreta, a pergunta causa polêmica e desperta outra discussão: como chegar a um denominador comum pelo bem da gentileza e da segurança de todos no trânsito?

A princípio, o melhor que você pode fazer é não começar discussões pensando em brigar. A dica de ouvir com calma o que o próximo tem a dizer vale para qualquer situação. Tendo isso em mente, fica bem mais fácil comparar as opiniões!

O jornalista Guto Lobato (@GutoLobato), que dirige frequentemente pela capital paulista, diz que qualquer imprudência ou manobra brusca pode causar um acidente grave. De acordo com ele, nenhum dos “lados” está certo ou errado: o que falta é respeito mútuo.

“Se todos (motoristas e motociclistas) seguirem a legislação de trânsito, respeitando limites de velocidade e a distância entre veículos, evitando ultrapassagens bruscas e, principalmente, agirem com educação e respeito ao espaço alheio, é muito possível chegar a um resultado positivo”.

Para Guto, a prova de que isso pode ser conseguido está na faixa de motociclistas das grandes avenidas de São Paulo – 23 de Maio, Avenida dos Bandeirantes, Nações Unidas, Brasil, entre outras.

Já a ciclista-ativista Aline Cavalcante (@pedaline) acha que o segredo para fazer um Trânsito+gentil é tolerância. “As pessoas precisam tolerar diferenças e escolhas de cada um, aprender a respeitar direitos”, opina.

Ela diz que, independente de opiniões individuais, a arte de tolerar deve ser exercitada em todos os âmbitos da vida, inclusive no trânsito. “É onde convivemos com outras pessoas, realidades, humores e meios de transporte. Hoje, podemos estar dirigindo, mas amanhã podemos depender de transporte público ou de bicicleta. Precisamos lembrar que somos seres humanos, como todos as outras personagens do trânsito”, pontua.

blog

E você, o que acha? Colabore com o debate e não se esqueça: mantenha sempre pelo menos 1,5 m de distância dos outros veículos no trânsito! 🙂

placa

Placas e tarjetas refletivas agora são obrigatórias no trânsito. A partir do dia 1º de abril, a medida, que abrange carros e motos de todo o país, por determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), passou a valer para os veículos novos que forem emplacados pela primeira vez e para os usados que forem transferidos de município.

A medida deve aumentar a segurança no trânsito e também ajudar na fiscalização das estradas. Como a película que reflete a luz favorece a visibilidade em dias de chuva ou à noite, as autoridades poderão identificar os veículos com mais facilidade. A película também permite visualizar melhor a distância entre os demais carros e motocicletas.

Mudanças para motos:

– A regra já valia para motos, mas, agora muda também os tamanhos das placas destes veículos. A altura passará de 13,6 cm para 17 cm e o comprimento de 18,7 cm para 20 cm.

– Letras e números (com exceção do nome da cidade de origem) também mudam de tamanho, passando de 4,2 cm para 5,3 cm de altura – quase do mesmo tamanho que nas placas de automóveis.

– Em casos previstos pela lei, quem for flagrado com o modelo antigo será punido com multa e pontuação na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por infração média. O veículo ainda será apreendido até a adequação à norma.

E você, o que achou da mudança?

molas

Todo motorista que quiser manter seu carro seguro e em bom estado precisa prestar sempre atento aos itens principais da suspensão do veículo (representados pelas molas e amortecedores). Isso é tão importante quanto se lembrar de abastecer o seu automóvel.

A quilometragem do carro é a prioridade para manter o bom funcionamento. Isso porque, a cada 20 mil quilômetros, todo o sistema de suspensão precisa passar por uma revisão. Quando essa marca dobrar, atingindo os 40 mil quilômetros, os itens precisam ser trocados – e isso é uma recomendação dos fabricantes!

A falta de atenção dedicada a amortecedores e molas interfere, diretamente, na estabilidade do carro. É sempre bom pedir ao mecânico que dê uma boa olhada na suspensão quando você levar o carro na oficina para alinhamento e balanceamento. Também é essencial verificar, antes de sair da garagem, se há vazamentos ou se as hastes e borrachas estão limpas.

Caso os amortecedores e molas estejam desgastados, é preciso renovar os itens. Acontece que muitos motoristas prestam atenção somente aos amortecedores e se esquecem das molas. Vale a ressalva: é preciso substituir esses dois itens sempre que necessário. Afinal, um depende do outro para funcionar de maneira correta.

A suspensão de um carro, além de ser essencial para a segurança do veículo (já que garante a sua estabilidade), também é importante para proporcionar maior conforto aos seus passageiros. Em situações de derrapagem e curvas, a suspensão tem papel fundamental.
Os motoristas não devem se esquecer de que a direção defensiva é fundamental para o aumento da vida útil de amortecedores e molas. Cuidados como desviar de buracos e diminuir a velocidade em lombadas ajudam a manter a suspensão do carro em bom estado. E quem mantém o carro em ordem ajuda a praticar um Trânsito+gentil – evitando acidentes, engarrafamentos e todo o estresse que essas situações provocam. 😉

internautas-tempo-redes-socias

A cena é recorrente: você sai de casa, pega um caminho errado e perde minutos (ou até horas) essenciais do seu dia preso em engarrafamentos. Enquanto isso, em uma rota alternativa, o tráfego flui perfeitamente bem. Se você soubesse, teria ido pelo caminho mais tranquilo, certo? Pois, saiba que, se depender das redes sociais, você não sai mais de casa sem saber como está o trânsito?

Estas novas mídias têm assumido um caráter mais social e colaborativo em suas evoluções individuais. As novas plataformas de relacionamento aproximam pessoas e vão além de, simplesmente, manter suas conexões, representando também um novo meio de comunicação.

Quem vive no Rio de Janeiro ou em São Paulo tem duas boas opções para saber a situação do trânsito antes de pegar o carro. Pelo Twitter, os internautas podem seguir os perfis @portovias_sp e @portovias_rj e, além de acompanhar dicas de pontos de lentidão ou regiões de alagamento durante as chuvas, participar enviando dicas e ajudando a informar os outros motoristas.

Por exemplo, antes de sair de casa ou do trabalho, você pode conferir as informações dos perfis do Porto Vias no Twitter sobre as condições do trânsito das principais vias da cidade. Acabou de chegar ao seu destino e passou por pontos de lentidão? Compartilhe suas dicas de trânsito com o @portovias_sp ou @portovias_rj que os perfis dão um RT no seu tweet – ou seja, levam a mensagem para os seus seguidores, gerando um fluxo de informações em tempo real.

Com vários colaboradores, a situação do trânsito pode ser atualizada a todo o momento por quem gosta de cumprir seu papel de cidadão. E você, o que acha de saber a situação do trânsito antes mesmo de entrar no carro usando as novas tecnologias? Comente e compartilhe 😀

O Departamento de Trânsito de Washington realizou uma experiência didática e, no mínimo, intrigante. Eles mediram quanto tempo levou para que um quilo de arroz conseguisse passar por um funil em duas situações diferentes.

Na primeira delas, o arroz era despejado todo de uma vez na boca do funil, enquanto na segunda ele ia sendo despejado de forma suave e contínua. Ao contrário do que muitos possam imaginar, o primeiro método foi muito mais lento do que o segundo.

No último, o arroz demorou 27 segundos para ser escoado enquanto que no primeiro foram necessários 40 segundos. Tempo quase 50% maior. Jogar violentamente o arroz só serviu para aumentar o atrito entre os grãos e criar impedância à fluidez.

arroz

O paradoxo do arroz também já foi pesquisado – e comprovado – por brasileiros. Confira o estudo inteiro clicando aqui.

E o trânsito nisso?

O paralelo com o trânsito e as gentilezas não é uma simples metáfora. Se o número de veículos que entrar numa via for só um pouco inferior à capacidade da via, será possível escoar, no mesmo período de uma hora (por exemplo) um número muito maior de veículos, do que se a demanda for superior à capacidade e se permitir que acesse a via sem nenhum tipo de controle.

Outro exemplo pode ser visto na Estação Sé do Metrô de São Paulo, no horário de pico. O metrô realiza uma espécie de controle de acesso às plataformas por meio da quantidade de catracas disponibilizadas, com o objetivo de impedir que toda a multidão de passageiros chegue de uma só vez nas plataformas. Se a multidão de pessoas chegasse de uma vez só na plataforma, haveria sérios problemas.

Com a teoria aplicada na prática, fica a dica: se estiver com pressa, não tente ultrapassar outros motoristas para ganhar tempo. Você estará desperdiçando preciosos minutos que separam você do seu destino. Seja gentil, dê passagem sempre que puder e facilite o fluxo! 🙂

bvbe

O número de mortes infantis no trânsito caiu 41,18% só na metade do ano passado. A conclusão da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que foi divulgada no começo do mês de fevereiro, é diretamente influenciada pela obrigatoriedade das cadeirinhas.

Pelo que apresentam os dados oficiais, a diminuição brusca no número de mortes de crianças com até sete anos em acidentes nas estradas deve se acentuar ainda mais. Em   Brasília, não houve nenhuma morte entre o ano de 2010 – ano em que a lei da cadeirinha entrou em vigor – até o mês de agosto de 2011, mês em que o levantamento foi concluído.

O chefe de fiscalização do 1º Distrito da Polícia Rodoviária Federal, inspetor Carlos Dantas, comentou a importância do equipamento para a proteção das crianças. “O uso das cadeirinhas infantis, além de ser obrigatório, dá segurança e evita ferimentos”, alertou o oficial, que também lembrou que as cadeirinhas não são motivo para ficar totalmente despreocupado.

Falamos sobre as cadeirinhas antes. Clique aqui e confira!

Segundo Carlos, nesse início de ano letivo o fluxo no trânsito se intensifica e, com isso, os motoristas devem estar atentos ao transporte seguro das crianças. “É fundamental  para reduzir o risco de morte em acidentes ou na desaceleração repentina do veículo”, aconselhou.

A recomendação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) aos pais e responsáveis é clara: todos devem instalar as cadeirinhas de forma correta. De acordo com o Inmetro, é fundamental seguir todas as orientações contidas nos manuais para evitar surpresas desagradáveis.

Fonte: Agência Brasil

WP_Query Object
(
    [query] => Array
        (
            [paged] => 2
            [tag] => transitogentil
        )

    [query_vars] => Array
        (
            [paged] => 2
            [tag] => transitogentil
            [error] => 
            [m] => 
            [p] => 0
            [post_parent] => 
            [subpost] => 
            [subpost_id] => 
            [attachment] => 
            [attachment_id] => 0
            [name] => 
            [static] => 
            [pagename] => 
            [page_id] => 0
            [second] => 
            [minute] => 
            [hour] => 
            [day] => 0
            [monthnum] => 0
            [year] => 0
            [w] => 0
            [category_name] => 
            [cat] => 
            [tag_id] => 11
            [author] => 
            [author_name] => 
            [feed] => 
            [tb] => 
            [meta_key] => 
            [meta_value] => 
            [preview] => 
            [s] => 
            [sentence] => 
            [title] => 
            [fields] => 
            [menu_order] => 
            [embed] => 
            [category__in] => Array
                (
                )

            [category__not_in] => Array
                (
                )

            [category__and] => Array
                (
                )

            [post__in] => Array
                (
                )

            [post__not_in] => Array
                (
                )

            [post_name__in] => Array
                (
                )

            [tag__in] => Array
                (
                )

            [tag__not_in] => Array
                (
                )

            [tag__and] => Array
                (
                )

            [tag_slug__in] => Array
                (
                    [0] => transitogentil
                )

            [tag_slug__and] => Array
                (
                )

            [post_parent__in] => Array
                (
                )

            [post_parent__not_in] => Array
                (
                )

            [author__in] => Array
                (
                )

            [author__not_in] => Array
                (
                )

            [ignore_sticky_posts] => 
            [suppress_filters] => 
            [cache_results] => 1
            [update_post_term_cache] => 1
            [lazy_load_term_meta] => 1
            [update_post_meta_cache] => 1
            [post_type] => 
            [posts_per_page] => 10
            [nopaging] => 
            [comments_per_page] => 50
            [no_found_rows] => 
            [order] => DESC
        )

    [tax_query] => WP_Tax_Query Object
        (
            [queries] => Array
                (
                    [0] => Array
                        (
                            [taxonomy] => post_tag
                            [terms] => Array
                                (
                                    [0] => transitogentil
                                )

                            [field] => slug
                            [operator] => IN
                            [include_children] => 1
                        )

                )

            [relation] => AND
            [table_aliases:protected] => Array
                (
                    [0] => t_g_term_relationships
                )

            [queried_terms] => Array
                (
                    [post_tag] => Array
                        (
                            [terms] => Array
                                (
                                    [0] => transitogentil
                                )

                            [field] => slug
                        )

                )

            [primary_table] => t_g_posts
            [primary_id_column] => ID
        )

    [meta_query] => WP_Meta_Query Object
        (
            [queries] => Array
                (
                )

            [relation] => 
            [meta_table] => 
            [meta_id_column] => 
            [primary_table] => 
            [primary_id_column] => 
            [table_aliases:protected] => Array
                (
                )

            [clauses:protected] => Array
                (
                )

            [has_or_relation:protected] => 
        )

    [date_query] => 
    [queried_object] => WP_Term Object
        (
            [term_id] => 11
            [name] => Trânsito+Gentil
            [slug] => transitogentil
            [term_group] => 0
            [term_taxonomy_id] => 11
            [taxonomy] => post_tag
            [description] => 
            [parent] => 0
            [count] => 110
            [filter] => raw
        )

    [queried_object_id] => 11
    [request] => SELECT SQL_CALC_FOUND_ROWS  t_g_posts.ID FROM t_g_posts  LEFT JOIN t_g_term_relationships ON (t_g_posts.ID = t_g_term_relationships.object_id) WHERE 1=1  AND ( 
  t_g_term_relationships.term_taxonomy_id IN (11)
) AND t_g_posts.post_type = 'post' AND (t_g_posts.post_status = 'publish' OR t_g_posts.post_status = 'acf-disabled') GROUP BY t_g_posts.ID ORDER BY t_g_posts.post_date DESC LIMIT 10, 10
    [posts] => Array
        (
            [0] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 3074
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2012-12-17 19:18:30
                    [post_date_gmt] => 2012-12-17 21:18:30
                    [post_content] => 153896094

O cotidiano moderno em que vivemos nos leva cada vez mais à necessidade de estarmos sempre informados. É fato que os celulares evoluíram para facilitar a nossa vida: além das ligações e torpedos, agora também podemos checar as redes sociais, navegar por sites, trocar mensagens instantâneas e ainda existe uma infinidade de aplicativos. No entanto, ao dirigir, essa necessidade ocupa as mãos e o cuidado que deveriam estar no volante e, assim, reduzimos nossa atenção no trânsito.

Em um estudo realizado com 2 mil pessoas*, 24% dos entrevistados assumiram usar o smartphone ao dirigir, o que tem feito com que cada vez mais motoristas se envolvam em acidentes por distração. Quando se guia um automóvel, deve-se estar sempre com a visão atenta ao redor e ao andamento do tráfego, pois uma pequena distração pode acarretar um acidente sério.

A multa para quem infringir a lei é de R$ 85,13, considerada uma infração média, e o motorista acumula quatro pontos na carteira. E não é só o celular na mão o “vilão”: até mesmo o uso do viva-voz pode ser prejudicial à atenção do motorista.

Para evitar acidentes, é fundamental que os motoristas se conscientizem dos riscos aos quais se expõem e expõem todos os outros ao redor. Então, lembre-se: deixar seu celular desligado durante a direção garante a segurança do tráfego, a de todos na rua e a sua.

*Fonte: https://www.denatran.gov.br/ 

                    [post_title] => Falar ao celular pode deixar você fora do ar
                    [post_excerpt] => 
                    [post_status] => publish
                    [comment_status] => open
                    [ping_status] => open
                    [post_password] => 
                    [post_name] => falar-ao-celular-pode-deixar-voce-fora-do-ar
                    [to_ping] => 
                    [pinged] => 
                    [post_modified] => 2012-12-17 19:18:30
                    [post_modified_gmt] => 2012-12-17 21:18:30
                    [post_content_filtered] => 
                    [post_parent] => 0
                    [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=3074
                    [menu_order] => 0
                    [post_type] => post
                    [post_mime_type] => 
                    [comment_count] => 0
                    [filter] => raw
                )

            [1] => WP_Post Object
                (
                    [ID] => 3012
                    [post_author] => 2
                    [post_date] => 2012-07-04 14:06:44
                    [post_date_gmt] => 2012-07-04 16:06:44
                    [post_content] => 

820032_36625992

Que a música mexe com os nossos sentimentos, todo mundo sabe. No trânsito, é a mesma coisa: uma composição calma deixa motoristas tranquilos, enquanto um som pesado estimula as pessoas, podendo deixá-las mais nervosas e tensas. Que tal apelar para melodias gentis com a nossa ajuda? Se música erudita relaxa, a música popular prende menos a atenção. Uma pesquisa realizada na Inglaterra com motoristas revelou que 60% dos entrevistados se sentem influenciados pelas músicas que escutam enquanto dirigem. Já 15% reconheceram que as melodias agressivas, como um rock mais pesado, os levam a dirigir mais rápido. Além da música, ouvir a transmissão de uma partida de futebol também pode comprometer a direção. A Universidade de Leicester, na Inglaterra, divulgou um estudo no qual aponta que 2 milhões de pessoas sofreram acidentes ou escaparam por pouco de um enquanto escutavam um jogo pelo rádio. O pior momento, claro, costuma ser aquele em que há uma situação de risco – como o time adversário perto de marcar um gol ou um jogador importante prestes a ser expulso de campo. Nada estranho para quem é fanático por futebol.  Para os torcedores apaixonados, o ideal é evitar ouvir o jogo do time do coração enquanto dirige. Mas, o mais importante mesmo, é lembrar que, a partir do momento que se assume a direção de um veículo, a sintonia deve ser na direção segura, na precaução, no respeito e na segurança. Que tal conferir uma sugestão de playlist preparada pelo Trânsito+gentil pra você ouvir.
Internacionais: Red Hot Chili Peppers – Under The Bridge The Police – Every Breath You take Blind Melon – No Rain Ben Harper – Diamonds On the Inside Donavon Frankenreiter – Free Jack Johnson – Upside Down Air – Playground Love The Eagles – Hotel California Jason Mraz – I Won't Give Up Feist – I Feel It All Nacionais: Djavan – Se Nando Reis – Pra você guardei o amor Marisa Monte – Ainda bem Roberta Sá e Chico Buarque – Mambembe Tom Jobim – Chega De Saudade Marcelo Jeneci – Felicidade Legião Urbana – Vento no Litoral Claudinho e Buchecha – Fico Assim sem Você Vanessa da Mata – Boa sorte/Amado Maria Gadu – Quando fui chuva
[post_title] => Gentilezas no ritmo certo: a música no trânsito [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => gentilezas-no-ritmo-certo-a-musica-no-transito [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-07-04 14:06:44 [post_modified_gmt] => 2012-07-04 16:06:44 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=3012 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 6 [filter] => raw ) [2] => WP_Post Object ( [ID] => 3006 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-06-20 12:37:23 [post_date_gmt] => 2012-06-20 14:37:23 [post_content] =>

engarrafamento

É comum, mas não deveria ser tão habitual assim: nas grandes cidades do País, basta rodar poucos quilômetros para se deparar com um congestionamento daqueles. Ficar parado no trânsito causa estresse e, de acordo com cardiologistas, pode até trazer problemas de hipertensão. Você pode “equipar” seu carro com alternativas que podem ajudar a encarar o trânsito sem perder a calma. Uma dica é utilizar uma almofada para o banco do carro, ideal para apoiar a coluna lombar caso o encosto não possua esse tipo de regulagem. Isso evita problemas nas articulações e deixa o corpo mais relaxado. Outra dica é oferecer carona para amigos, parentes ou colegas de trabalho. Diante de um trânsito ruim, vocês podem conversar e se divertir – o que faz o tempo passar bem mais rápido. Quem usa o carro sozinho pode aproveitar o congestionamento para ouvir uma seleção especial de músicas para relaxar ou ouvir CDs de cursos, por exemplo. Mesmo que sejam saídas tentadoras para períodos ociosos, as revistas, palavras cruzadas, videogames portáteis (e até os smartphones e tablets!) oferecem inúmeros riscos ao motorista, porque exigem muita atenção. Por isso, nunca use-os ao volante! Anda com pouca sorte nas escolas dos caminhos com menos trânsito? Então, a dica para evitar os engarrafamentos é usar um sistema que mostre o trânsito em tempo real. Os motoristas da região metropolitana do Rio de Janeiro e da Grande São Paulo podem contar com o Porto Vias. Ele mostra a situação do trânsito em tempo real e você pode comparar os caminhos cadastrados para escolher o mais tranquilo. Você tem outras dicas de como aproveitar o tempo enquanto está parado nos caminhos do dia a dia? Conte para a gente! [post_title] => Como manter a qualidade de vida em um engarrafamento? [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => como-manter-a-qualidade-de-vida-em-um-engarrafamento [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-06-20 12:37:23 [post_modified_gmt] => 2012-06-20 14:37:23 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=3006 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 4 [filter] => raw ) [3] => WP_Post Object ( [ID] => 2992 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-06-13 19:39:28 [post_date_gmt] => 2012-06-13 21:39:28 [post_content] => A falta de gentilezas e de respeito entre os condutores dificulta a qualidade de vida nas ruas. Com mais colaboração entre os motoristas, teríamos menos situações desgastantes nas ruas. E nem é (tão) difícil. Basta uma mudança de postura e de visão em relação às pessoas que estão ao seu redor. Fica o convite: confira essa compilação de dicas gentis e reflita. :)
  • É muito chato quando você quer mudar de faixa e o motorista ao lado não te dá passagem, né? Não aja como ele quando outro motorista quiser trocar de pista. O que vai, volta.
  • Não, “um minutinho” não é inofensivo. Nunca pare em fila dupla ou em locais proibidos. Esse “minutinho” pode prejudicar o fluxo do trânsito e causar um baita congestionamento!
  • Sempre dê a seta de direção para o motorista de trás (ou ao lado) saber o que você vai fazer. Faça isso até mesmo quando não houver outros carros por perto, assim você adquire o hábito e também sinaliza aos pedestres e ciclistas.
  • Ao procurar vaga no estacionamento do shopping ou do supermercado, não obstrua o corredor dirigindo devagar. Se você precisar mesmo encontrar uma vaga naquele piso, pelo menos deixe o carro de trás ultrapassá-lo.
  • Se você se deparar com um carro em manobra ou saindo de uma vaga (ou garagem), espere o motorista terminar, ao invés de ir para cima dele,  impedindo-o de sair.
  • Nunca buzine sem necessidade. Isso ajuda a diminuir a poluição sonora e evita sustos desnecessários nas ruas!
  • Não parar em cima da faixa de pedestre é bom, mas melhor ainda é não acelerar quando enxergar uma pessoa atravessando a rua, mesmo que ela esteja distante da faixa.
  • Esteja sempre atento ao trânsito e dirija em velocidade compatível com o fluxo. Se estiver devagar, mantenha-se na faixa da direita. Assim, você não atrasa os carros atrás de você.
  • Jamais dirija como se estivesse competindo. Isso vale para quem praticamente encosta no carro da frente, pra quem costura entre as pistas e pra quem força a entrada em uma pista.

carro E você, tem mais alguma dica gentil? Pode mandar, quem sabe ela não vem parar aqui? [post_title] => Dirija sem encarar os outros motoristas como inimigos [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => dirija-sem-encarar-os-outros-motoristas-como-inimigos [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-06-13 19:39:28 [post_modified_gmt] => 2012-06-13 21:39:28 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2992 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 4 [filter] => raw ) [4] => WP_Post Object ( [ID] => 2980 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-04-16 16:49:04 [post_date_gmt] => 2012-04-16 18:49:04 [post_content] => Quem está certo e quem está errado na relação entre motoristas e ciclistas no trânsito? Sem resposta concreta, a pergunta causa polêmica e desperta outra discussão: como chegar a um denominador comum pelo bem da gentileza e da segurança de todos no trânsito? A princípio, o melhor que você pode fazer é não começar discussões pensando em brigar. A dica de ouvir com calma o que o próximo tem a dizer vale para qualquer situação. Tendo isso em mente, fica bem mais fácil comparar as opiniões! O jornalista Guto Lobato (@GutoLobato), que dirige frequentemente pela capital paulista, diz que qualquer imprudência ou manobra brusca pode causar um acidente grave. De acordo com ele, nenhum dos “lados” está certo ou errado: o que falta é respeito mútuo. “Se todos (motoristas e motociclistas) seguirem a legislação de trânsito, respeitando limites de velocidade e a distância entre veículos, evitando ultrapassagens bruscas e, principalmente, agirem com educação e respeito ao espaço alheio, é muito possível chegar a um resultado positivo”. Para Guto, a prova de que isso pode ser conseguido está na faixa de motociclistas das grandes avenidas de São Paulo – 23 de Maio, Avenida dos Bandeirantes, Nações Unidas, Brasil, entre outras. Já a ciclista-ativista Aline Cavalcante (@pedaline) acha que o segredo para fazer um Trânsito+gentil é tolerância. “As pessoas precisam tolerar diferenças e escolhas de cada um, aprender a respeitar direitos”, opina. Ela diz que, independente de opiniões individuais, a arte de tolerar deve ser exercitada em todos os âmbitos da vida, inclusive no trânsito. “É onde convivemos com outras pessoas, realidades, humores e meios de transporte. Hoje, podemos estar dirigindo, mas amanhã podemos depender de transporte público ou de bicicleta. Precisamos lembrar que somos seres humanos, como todos as outras personagens do trânsito”, pontua.

blog

E você, o que acha? Colabore com o debate e não se esqueça: mantenha sempre pelo menos 1,5 m de distância dos outros veículos no trânsito! :) [post_title] => Motoristas e ciclistas: afinal, como incentivar as gentilezas? [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => motoristas-e-ciclistas-afinal-como-incentivar-as-gentilezas [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-04-16 16:49:04 [post_modified_gmt] => 2012-04-16 18:49:04 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2980 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 7 [filter] => raw ) [5] => WP_Post Object ( [ID] => 2972 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-04-10 12:32:00 [post_date_gmt] => 2012-04-10 14:32:00 [post_content] =>

placa

Placas e tarjetas refletivas agora são obrigatórias no trânsito. A partir do dia 1º de abril, a medida, que abrange carros e motos de todo o país, por determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), passou a valer para os veículos novos que forem emplacados pela primeira vez e para os usados que forem transferidos de município.

A medida deve aumentar a segurança no trânsito e também ajudar na fiscalização das estradas. Como a película que reflete a luz favorece a visibilidade em dias de chuva ou à noite, as autoridades poderão identificar os veículos com mais facilidade. A película também permite visualizar melhor a distância entre os demais carros e motocicletas.

Mudanças para motos: - A regra já valia para motos, mas, agora muda também os tamanhos das placas destes veículos. A altura passará de 13,6 cm para 17 cm e o comprimento de 18,7 cm para 20 cm. - Letras e números (com exceção do nome da cidade de origem) também mudam de tamanho, passando de 4,2 cm para 5,3 cm de altura – quase do mesmo tamanho que nas placas de automóveis. - Em casos previstos pela lei, quem for flagrado com o modelo antigo será punido com multa e pontuação na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) por infração média. O veículo ainda será apreendido até a adequação à norma. E você, o que achou da mudança? [post_title] => Placas refletivas em carros e motos agora serão obrigatórias em todo o país [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => placas-refletivas-em-carros-e-motos-agora-serao-obrigatorias-em-todo-o-pais [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-04-10 12:32:00 [post_modified_gmt] => 2012-04-10 14:32:00 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2972 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 17 [filter] => raw ) [6] => WP_Post Object ( [ID] => 2940 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-03-02 11:44:37 [post_date_gmt] => 2012-03-02 13:44:37 [post_content] =>

molas

Todo motorista que quiser manter seu carro seguro e em bom estado precisa prestar sempre atento aos itens principais da suspensão do veículo (representados pelas molas e amortecedores). Isso é tão importante quanto se lembrar de abastecer o seu automóvel.

A quilometragem do carro é a prioridade para manter o bom funcionamento. Isso porque, a cada 20 mil quilômetros, todo o sistema de suspensão precisa passar por uma revisão. Quando essa marca dobrar, atingindo os 40 mil quilômetros, os itens precisam ser trocados – e isso é uma recomendação dos fabricantes!

A falta de atenção dedicada a amortecedores e molas interfere, diretamente, na estabilidade do carro. É sempre bom pedir ao mecânico que dê uma boa olhada na suspensão quando você levar o carro na oficina para alinhamento e balanceamento. Também é essencial verificar, antes de sair da garagem, se há vazamentos ou se as hastes e borrachas estão limpas.

Caso os amortecedores e molas estejam desgastados, é preciso renovar os itens. Acontece que muitos motoristas prestam atenção somente aos amortecedores e se esquecem das molas. Vale a ressalva: é preciso substituir esses dois itens sempre que necessário. Afinal, um depende do outro para funcionar de maneira correta.

A suspensão de um carro, além de ser essencial para a segurança do veículo (já que garante a sua estabilidade), também é importante para proporcionar maior conforto aos seus passageiros. Em situações de derrapagem e curvas, a suspensão tem papel fundamental. Os motoristas não devem se esquecer de que a direção defensiva é fundamental para o aumento da vida útil de amortecedores e molas. Cuidados como desviar de buracos e diminuir a velocidade em lombadas ajudam a manter a suspensão do carro em bom estado. E quem mantém o carro em ordem ajuda a praticar um Trânsito+gentil – evitando acidentes, engarrafamentos e todo o estresse que essas situações provocam. ;) [post_title] => Molas: essenciais para a estabilidade do seu carro [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => molas-essenciais-para-a-estabilidade-do-seu-carro [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-03-02 11:44:37 [post_modified_gmt] => 2012-03-02 13:44:37 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2940 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 0 [filter] => raw ) [7] => WP_Post Object ( [ID] => 2938 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-02-29 13:34:22 [post_date_gmt] => 2012-02-29 15:34:22 [post_content] =>

internautas-tempo-redes-socias

A cena é recorrente: você sai de casa, pega um caminho errado e perde minutos (ou até horas) essenciais do seu dia preso em engarrafamentos. Enquanto isso, em uma rota alternativa, o tráfego flui perfeitamente bem. Se você soubesse, teria ido pelo caminho mais tranquilo, certo? Pois, saiba que, se depender das redes sociais, você não sai mais de casa sem saber como está o trânsito?

Estas novas mídias têm assumido um caráter mais social e colaborativo em suas evoluções individuais. As novas plataformas de relacionamento aproximam pessoas e vão além de, simplesmente, manter suas conexões, representando também um novo meio de comunicação.

Quem vive no Rio de Janeiro ou em São Paulo tem duas boas opções para saber a situação do trânsito antes de pegar o carro. Pelo Twitter, os internautas podem seguir os perfis @portovias_sp e @portovias_rj e, além de acompanhar dicas de pontos de lentidão ou regiões de alagamento durante as chuvas, participar enviando dicas e ajudando a informar os outros motoristas. Por exemplo, antes de sair de casa ou do trabalho, você pode conferir as informações dos perfis do Porto Vias no Twitter sobre as condições do trânsito das principais vias da cidade. Acabou de chegar ao seu destino e passou por pontos de lentidão? Compartilhe suas dicas de trânsito com o @portovias_sp ou @portovias_rj que os perfis dão um RT no seu tweet – ou seja, levam a mensagem para os seus seguidores, gerando um fluxo de informações em tempo real. Com vários colaboradores, a situação do trânsito pode ser atualizada a todo o momento por quem gosta de cumprir seu papel de cidadão. E você, o que acha de saber a situação do trânsito antes mesmo de entrar no carro usando as novas tecnologias? Comente e compartilhe :D [post_title] => Que tal usar as redes sociais para ganhar tempo no trânsito? [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => que-tal-usar-as-redes-sociais-para-ganhar-tempo-no-transito [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-02-29 13:34:22 [post_modified_gmt] => 2012-02-29 15:34:22 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2938 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 3 [filter] => raw ) [8] => WP_Post Object ( [ID] => 2934 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-02-24 10:23:05 [post_date_gmt] => 2012-02-24 12:23:05 [post_content] => O Departamento de Trânsito de Washington realizou uma experiência didática e, no mínimo, intrigante. Eles mediram quanto tempo levou para que um quilo de arroz conseguisse passar por um funil em duas situações diferentes. Na primeira delas, o arroz era despejado todo de uma vez na boca do funil, enquanto na segunda ele ia sendo despejado de forma suave e contínua. Ao contrário do que muitos possam imaginar, o primeiro método foi muito mais lento do que o segundo. No último, o arroz demorou 27 segundos para ser escoado enquanto que no primeiro foram necessários 40 segundos. Tempo quase 50% maior. Jogar violentamente o arroz só serviu para aumentar o atrito entre os grãos e criar impedância à fluidez.

arroz

O paradoxo do arroz também já foi pesquisado - e comprovado – por brasileiros. Confira o estudo inteiro clicando aqui.

E o trânsito nisso? O paralelo com o trânsito e as gentilezas não é uma simples metáfora. Se o número de veículos que entrar numa via for só um pouco inferior à capacidade da via, será possível escoar, no mesmo período de uma hora (por exemplo) um número muito maior de veículos, do que se a demanda for superior à capacidade e se permitir que acesse a via sem nenhum tipo de controle. Outro exemplo pode ser visto na Estação Sé do Metrô de São Paulo, no horário de pico. O metrô realiza uma espécie de controle de acesso às plataformas por meio da quantidade de catracas disponibilizadas, com o objetivo de impedir que toda a multidão de passageiros chegue de uma só vez nas plataformas. Se a multidão de pessoas chegasse de uma vez só na plataforma, haveria sérios problemas. Com a teoria aplicada na prática, fica a dica: se estiver com pressa, não tente ultrapassar outros motoristas para ganhar tempo. Você estará desperdiçando preciosos minutos que separam você do seu destino. Seja gentil, dê passagem sempre que puder e facilite o fluxo! :) [post_title] => Trânsito e arroz: o paradoxo da lentidão [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => transito-e-arroz-o-paradoxo-da-lentidao [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-02-24 10:23:05 [post_modified_gmt] => 2012-02-24 12:23:05 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2934 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 0 [filter] => raw ) [9] => WP_Post Object ( [ID] => 2901 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-02-22 12:54:58 [post_date_gmt] => 2012-02-22 14:54:58 [post_content] =>

bvbe

O número de mortes infantis no trânsito caiu 41,18% só na metade do ano passado. A conclusão da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que foi divulgada no começo do mês de fevereiro, é diretamente influenciada pela obrigatoriedade das cadeirinhas. Pelo que apresentam os dados oficiais, a diminuição brusca no número de mortes de crianças com até sete anos em acidentes nas estradas deve se acentuar ainda mais. Em   Brasília, não houve nenhuma morte entre o ano de 2010 – ano em que a lei da cadeirinha entrou em vigor – até o mês de agosto de 2011, mês em que o levantamento foi concluído. O chefe de fiscalização do 1º Distrito da Polícia Rodoviária Federal, inspetor Carlos Dantas, comentou a importância do equipamento para a proteção das crianças. “O uso das cadeirinhas infantis, além de ser obrigatório, dá segurança e evita ferimentos”, alertou o oficial, que também lembrou que as cadeirinhas não são motivo para ficar totalmente despreocupado.

Falamos sobre as cadeirinhas antes. Clique aqui e confira!

Segundo Carlos, nesse início de ano letivo o fluxo no trânsito se intensifica e, com isso, os motoristas devem estar atentos ao transporte seguro das crianças. “É fundamental  para reduzir o risco de morte em acidentes ou na desaceleração repentina do veículo”, aconselhou. A recomendação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) aos pais e responsáveis é clara: todos devem instalar as cadeirinhas de forma correta. De acordo com o Inmetro, é fundamental seguir todas as orientações contidas nos manuais para evitar surpresas desagradáveis. Fonte: Agência Brasil [post_title] => Comprovado: cadeirinhas obrigatórias salvam crianças no trânsito [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => comprovado-cadeirinhas-obrigatorias-salvam-criancas-no-transito [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-02-22 12:54:58 [post_modified_gmt] => 2012-02-22 14:54:58 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=2901 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 2 [filter] => raw ) ) [post_count] => 10 [current_post] => -1 [in_the_loop] => [post] => WP_Post Object ( [ID] => 3074 [post_author] => 2 [post_date] => 2012-12-17 19:18:30 [post_date_gmt] => 2012-12-17 21:18:30 [post_content] => 153896094 O cotidiano moderno em que vivemos nos leva cada vez mais à necessidade de estarmos sempre informados. É fato que os celulares evoluíram para facilitar a nossa vida: além das ligações e torpedos, agora também podemos checar as redes sociais, navegar por sites, trocar mensagens instantâneas e ainda existe uma infinidade de aplicativos. No entanto, ao dirigir, essa necessidade ocupa as mãos e o cuidado que deveriam estar no volante e, assim, reduzimos nossa atenção no trânsito. Em um estudo realizado com 2 mil pessoas*, 24% dos entrevistados assumiram usar o smartphone ao dirigir, o que tem feito com que cada vez mais motoristas se envolvam em acidentes por distração. Quando se guia um automóvel, deve-se estar sempre com a visão atenta ao redor e ao andamento do tráfego, pois uma pequena distração pode acarretar um acidente sério. A multa para quem infringir a lei é de R$ 85,13, considerada uma infração média, e o motorista acumula quatro pontos na carteira. E não é só o celular na mão o “vilão”: até mesmo o uso do viva-voz pode ser prejudicial à atenção do motorista. Para evitar acidentes, é fundamental que os motoristas se conscientizem dos riscos aos quais se expõem e expõem todos os outros ao redor. Então, lembre-se: deixar seu celular desligado durante a direção garante a segurança do tráfego, a de todos na rua e a sua. *Fonte: https://www.denatran.gov.br/ [post_title] => Falar ao celular pode deixar você fora do ar [post_excerpt] => [post_status] => publish [comment_status] => open [ping_status] => open [post_password] => [post_name] => falar-ao-celular-pode-deixar-voce-fora-do-ar [to_ping] => [pinged] => [post_modified] => 2012-12-17 19:18:30 [post_modified_gmt] => 2012-12-17 21:18:30 [post_content_filtered] => [post_parent] => 0 [guid] => https://www.transitomaisgentil.com.br/blog/?p=3074 [menu_order] => 0 [post_type] => post [post_mime_type] => [comment_count] => 0 [filter] => raw ) [comment_count] => 0 [current_comment] => -1 [found_posts] => 110 [max_num_pages] => 11 [max_num_comment_pages] => 0 [is_single] => [is_preview] => [is_page] => [is_archive] => 1 [is_date] => [is_year] => [is_month] => [is_day] => [is_time] => [is_author] => [is_category] => [is_tag] => 1 [is_tax] => [is_search] => [is_feed] => [is_comment_feed] => [is_trackback] => [is_home] => [is_privacy_policy] => [is_404] => [is_embed] => [is_paged] => 1 [is_admin] => [is_attachment] => [is_singular] => [is_robots] => [is_posts_page] => [is_post_type_archive] => [query_vars_hash:WP_Query:private] => b8902cf45e1f6df4c1367331d39add02 [query_vars_changed:WP_Query:private] => [thumbnails_cached] => [stopwords:WP_Query:private] => [compat_fields:WP_Query:private] => Array ( [0] => query_vars_hash [1] => query_vars_changed ) [compat_methods:WP_Query:private] => Array ( [0] => init_query_flags [1] => parse_tax_query ) )